Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

25
Dez10

MOVIMENTOS ANAIS...

NEOABJECCIONISMO

MOVIMENTOS ANAIS

 {#emotions_dlg.sol}

minha ambição é toda a alma humana
por ela vou eterno confiante
levo a memória milenar das origens
sonho que do pensamento emana
levo o amor que me fez fiel amante
fantasia que me traz vertigens

*

há um sonho secreto para desvendar
que desde criança me acompanha
faz parte do meu ser mais original
um sonho talvez de olhar o mar
de sentir no vento a alma estranha
ardências do meu fogo visceral

*

ou este pesadelo da alta madrugada
que me acorda em suores frios
entalado entre a mentira a verdade
ante a lei de não ser ou nada
navegante sem rumo por entre rios
à beira de abismos da vontade

*

quem me prende o livre pensamento
a pausa a dúvida a sensaboria
a barbárie que destruiu testemunha
voltar atrás por um só momento
montar de novo tragédia e alegoria
colher do riso e da caramunha

*

sendo alma o instinto humanitário
plena de sensores biocósmicos
agindo no nosso corpo intermitente
em interligações e sem horário
secreto sistema de canais iónicos
que propagam na emoção a mente

*

respiro fundo num olhar alucinado
dentro do sonho outro sopesar
a Terra gira em torno de si mesma
arrasta Lua e Sol apaixonado
e em volta dele majestosa a girar
mantém expectativa do sistema

*

meio século rotação e translação
à roda do eixo belo feminino
a cada movimento avulta descoberta
do novo sentir amor o coração
o sonho revela segredos de menino
na minha alma inculta de poeta

*

conto os anos que passam a correr
nesta avidez de ganhar à morte
desdenho hiatos contemporizadores
filtro luz na esperança querer
procuro o rumo que devolva o norte
traço de união dos meus amores

 
jrg

22
Nov10

MEU SONHO...

NEOABJECCIONISMO

 

o meu sonho é ser duma só pátria

onde a alma pura se evidencia

e não o ser da língua povo ou pária

que na dor me e te silencia


o meu sonho é ser de toda alma humana

no Universo total a expressão

que não se esgota na mente insana

é sangue que bombeia o coração


o meu sonho é amar a alma Universal

onde a Pátria da língua gera a violência

e não este silêncio mesquinho ritual

em que mergulha a falsa independência

 

o meu sonho é erradicar o medo

desde há milénios na alma instalado

o que cala a verdade no segredo

ainda que viva nesta Pátria exilado


o meu sonho é transformar o mundo

catalogado em números adversos

numa só Nação onde o amor profundo

liberta de conceitos complexos


o meu sonho é plantar na alma a esperança

criando raízes profundas intemporais

que floresça em cada sorriso de criança

e resista sem lesões aos vendavais


o meu sonho é ser homem pleno por inteiro

amante de mim e de toda a natureza

apelo ao consciente da minha inconsciência

que me revele o mistério verdadeiro

porquê a alma assume tão tanta beleza

quando se despe e nua mostra a sua essência
jrg

30
Set10

TEMPESTADES...

NEOABJECCIONISMO

 

foto de Carla Sofia Ferreira

{#emotions_dlg.bouquete}

o Planeta gira à deriva

contrário à lei cósmica global

seis biliões de gente

que da morte não se priva

nem do medo visceral

que os arrasta na torrente

 

são deuses agnósticos

sementes de amor e ódio

todos iguais todos diferentes

sejam tratantes ou médicos

sábios fora do pódio

cientistas prepotentes

 

acontece tudo ou nada

tão de repente

visto da praia suada

dentro da gente

 

o mar ainda sereno

o sol memória

a meio da trajectória

o vento ameno

 

a maré enche os esporões

já não há abrigos

nem cardos nem chorões

sobre os médos antigos

 

lentamente a brisa

vira a sudoeste

engrossa a água frisa

torna-se agreste

 

traz o cheiro da maresia

nuvens carregadas

escuras encurtam o dia

vagas encapeladas

 

cresce o mar impetuoso

nas ondas irrequietas

sem tréguas do tempo ventoso

alegres assustam profetas

 

uma rajada de vento forte

o areal estremece

altera os médos a sul a norte

uivam os cães se anoitece

 

formam-se cristais

em volta de estranhos objectos

solta a sinfonia de sons abissais

raios trovões despertos

 

abana o corpo frágil

na ousadia se fosse mulher

o rugido no vento táctil

a fazer sentir o seu poder

 

ribombam ondas imponentes

que rebentam com fragor

voam gaivotas imprudentes

renasce a emoção do amor

 

não sou um intruso

ensopado  na chuva

de todos os continentes

estou alegre e confuso

sou o homem à beira da curva

colhendo as sementes

 

não sou um intruso

antes um elemento nefasto

que a tempestade acolheu

rosca sem parafuso

rês tresmalhada sem pasto

sem medo da noite de breu

 

autor: jrg

 

 

17
Set10

CÃES VADIOS...

NEOABJECCIONISMO

 

 

 

foto:flashcao.com com br
{#emotions_dlg.blueflower}

olhos doces meigos tão carentes
pelos crispados de sujidade
lambem as mãos sedentos famintos
ganem por entre os dentes
quando sentem renascer a amizade
abandonados antes distintos

cães das mais diversas linhagens
objectos de um vão capricho
ou de crianças vencidas mimadas
sofrem de destinos selvagens
na rua a sós ao frio ou em nicho
corpos de úlceras chagadas

comem sôfregos restos de comida
curados por gente sem diploma
cãe vadios na rua disputam amigos
já ladram à gente mais temida
a quem os acarinha e tirou de coma
protejem em seus novos abrigos

olhos doces meigos fixos ternura
seguem o rasto da precaridade
perseguem em grupo cadelas no cio
fiéis ao instinto que os apura
são amigos leais ostentam vaidade
de ser como nós vitimas a frio

olho para eles ao sol estiraçados
de barriga cheia ou inda vazia
e penso há milénios o homem igual
vitima de outros mais avançados
sem a linguagem que nos distancia
quem nos marcou esta meta final

autor: JRG

13
Set10

A VIOLÊNCIA...

NEOABJECCIONISMO

tela de Nuti

 

{#emotions_dlg.blueflower}

portadores da mesma enfermidade
que oprime o coração a consciência
somos desde a remota antiguidade
infectados pelo virus da violência

é natural dizem para se sobreviver
bater na mulher filho ou vizinho
desde que frágeis ante o grã poder
e dele dependam para pão e vinho

há quem controle pela educação
recalcam a ira que sobe em espiral
abanam braços batem pés no chão
usam palavras armadas de tom fatal

escreveram-se tratados humanizantes
disciplinas a lógica a retórica
inventaram amor para todos amantes
mas não baniram doença histórica

nasceu e morreu matado o redentor
deuses subiram e desceram no passado
o homem vitima do seu próprio amor
segue a evolução sem rumo tresloucado

na procura insistente que dê resposta
nascem crianças viris indomáveis
sob os estigmas da desordem são aposta
das novas rotas de homens notáveis

na tragédia de viver sem esperança
eis que surge enfim a luz no horizonte
a entidade cósmica que gerou avança
e finda a violência que nos pôs a monte

autor:JRG

21
Abr10

DETERMINAÇÃO!...

NEOABJECCIONISMO

 

 

 

foto tirada da net

 

{#emotions_dlg.blueflower}

querer e ser

é conjugação absoluta

de mulher tomada de poder

que se levanta resoluta

 


querer e ser

é tornar a vida exuberante

amar e ser amada em seu viver

mulher do belo amante

 


querer e ser

é sonhar longe a plenitude

cavalgar o tempo amanhecer

todos os dias juventude

 


querer e ser

é tomar do homem a consciência

achar na natureza o saber

assumir de vez a sua essência

 


querer e ser

é romper de vez com a tragédia

de percorrer caminhos sem os ver

soltando ventos erradia

 


querer e ser

é meu amor tomar a ousadia

na evidência do desejo de vencer

destituir a avareza erguer a poesia

 


querer e ser

é  canto de esperança ao humanismo

estão convocados para suceder

à nova era um novo iluminismo

 


autor: JRG

20
Fev10

"QUANDO UM HOMEM SE PÕE A PENSAR!..."

NEOABJECCIONISMO

a lua é um fio dourado em foice crescente

a noite fria no silêncio da cidade

falamos de amor no jardim da alma transparente

trocamos beijos carícias sensualidade

 

em cada noite atraídas pelo luar

as palavras se libertam dos ancestrais conceitos

escorrem pelos corpos docemente devagar

deleitam-se e entram persistentes em nossos peitos

 

já não se ouvem grilos nem o cantar das cigarras

por sorte ainda cintilam no céu estrelas

damos as mãos sorrimos quando me olhas ou agarras

desembrulhamos segredos ocultos nas almas belas

 

lembro de ouvir dizer aos cientistas

que a máquina viria devastadora substituir o homem

gerando abastança e desgraças nas conquistas

dum lugar seguro entre blocos de cimento e a desordem

 

lembro que a ideia era dar tempo à vida se realizar

reduzir o esforço e a carga do horário

enriquecer o homem no lazer em sabedoria e em pensar

não era atormenta-lo com encargo e sem emprego triste binário

 

entre o tempo de pensar e o deleite de amar

a lua percorre a sua rota envolta de magia

sorri e tem olhos que entram na alma para a encantar

tem um halo de mistérios que nos provoca e inebria

 

porque viemos que tempo é este que nos espera

enlaçamos os corpos na ansiedade da procura

sabemos que o homem deixou de pensar que desespera

que entregou à máquina esse esforço sem alma nem ternura

 

autor: JRG

 

 

 

 

 

  

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa útil - home - pesquisa avançada - últimos posts - tops / estatísticas direito de resposta - área de utilizador - logout informação - ajuda / faqs - sobre o blog.com.pt - contacto - o nosso blog - blog.com.pt no Twitter - termos e condições - publicidade parceiros e patrocinadores