Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

21
Mar12

PARABÉNS POESIA...

NEOABJECCIONISMO
imagem pública tirada da net
*

PARABÉNS POESIA...

*
a poesia hoje vestiu de negro está de luto
detida com pulseira electrónica
presa soubera eu soltá-la ou ter coragem
de enfrentar o medo e resoluto
purificar o riso na musa tão irónica
soltando o grito mais selvagem
rebelde ao assentimento do oculto
*
mas amanhã já na primavera
vestirá assim tão de mil e tantas cores
e quebrará todas as grilhetas
poetas poetisas ah se eu d'amor pudera
cantarão esperanças e amores
inundarão de paz ao som das pandeiretas
rendidos ao que nela impera
*
não haverá pétalas nem de cravos
nem de rosas sequiosas
desta feita a revolta é toda musical
sopranos cantarão desagravos
as trombetas tocarão hinos furiosas
arrastarão a turba nacional
num delírio de emoções e nervos
*
Homero no Olimpo e já Pessoa
Eluard Cesário e outros mil tantos
escrevem o mandamento
que aos mortais confusos se afeiçoa
a fantasia tece diáfanos mantos
que agitam e fazem medrar o pensamento
quando o medo na alma inda ressoa
*
rufam tamboretes e tambores
por esta primavera de luz tão sequiosa
coragem que a esperança se desperta
renasce em versos livres dos reais temores
ou na alma duma mulher esplendorosa
que activando a poesia nela se refaz poeta
quebrando o feitiço dos horrores
*
jrg
21
Mar12

ASSOMBRAÇÃO...

NEOABJECCIONISMO

foto pública tirada da net

*

ASSOMBRAÇÃO..
*
todas as noites
quando a lua desce de mansinho sobre o mar
uma centelha de esperança
renasce na mudança agreste da maré
entre as almas errantes
descalças lambuzadas de efeitos luz
embrulhadas de sombras
*
todas as noites
as vejo dançar bruxuleantes sonâmbulas
numa roda de silêncios
de braços abertos partículas cósmicas
por vezes suspensas
adejando sobre estranhas figuras espectrais
esteticamente geométricas
*
todas as noites
ao vê-las penso em fugir
montado nas densas brisas marinhas
a desfazer-me de humanidade
ser na alma das almas por mais absurdo
que seja um intruso lunático
a retornar ao caminho da vinda
*
todas as noites
exceptuando a fase de nova
em que os vultos assumem a sua transparência
e o céu se confunde no mar
apenas a ardência das almas inquietas
com a exposição prematura
as estrelas tão altas formando alas
*
todas as noites
sonho que me transporto e levito
salto abismos morro
de morte livre em pleno da minha consciência
e me transformo em apenas alma
vou e venho como a maré em cada tempo
às vezes grito outras definho
*
todas as noites
invento um amor à luz das almas
há um corpo e brilho no olhar
seios sexo sorrisos gestos incandescentes
no meu frenesim de tocar
e de não sentir a solidez abjecta da matéria
nem o cheiro a vómito onde me estatelo
*
todas as noites
de tão cansado me adormeço
no desassossego de viver
inebriante o aroma deixado no ar pelas flores
penso nos convencidos intransigentes
na facilidade com que nos deixamos atemorizar
e sinto raiva de viver

*

autor: jrg


20
Mar12

SEGREIS DE LISBOA...NO TEATRO IBÉRICO!...

NEOABJECCIONISMO

 

 

*

SEGREIS DE LISBOA
*
Joana o corpo todo balança
no rebate da corrente
doce a flauta ou traversa ao sopro toca
tons de azul rosa laranja
do amor que ela em si tanto sente
quando lhe passa na boca
a trova tocada em cor de esperança
*
Miguel abraça a gamba com ternura
viola violino violoncelo
estremece em tons de roxo ou lilases
o arco que na corda apura
o som melódico atulhado em fino zelo
sabedoria d'almas tão audazes
que criam sobre a criação ou criatura
*
Manuel é o maestro sem batuta
olhos e gestos sibilinos
dando a cor amena ou a selvagem
exalta de virtude a ninfa astuta
emenda a história dos valores fidedignos
pinta de branco as noites da coragem
e põe ponto final na vã disputa
*
Ana canta virtuosa a Leonor
de verde grave a soprano bela e expedita
todo o corpo nela se agiganta
quando a alma toca a tragédia do amor
em cada nota a cor única erudita
ou o drama que a nossa alma espanta
se pinta de vermelho a tanta dor

*

os quatro assim dispostos em cenário
um toque medieval de som e luz
fixam para a memória do que há-de vir
o verso do jogral em reportório
que toda a alma humana dele se seduz
ao ver em movimento o som luzir
nas cores fantásticas do seu aniversário

*

autor: jrg

21
Mar11

A POESIA I...EFEMÉRIDE...

NEOABJECCIONISMO

 

A tábua Dilúvio da Epopeia de Gilgamesh em acadiano, por volta do segundo milênio a.C.

 

foto tirda da net

{#emotions_dlg.bouquete}

 

A POESIA - I

todos os anos no hemisfério norte
precisamente aos vinte e um deste mês de Março
se comemora e traça da poesia a sorte
entre cada Primavera e o sentimento esparso

todos os anos fazem atenta reflexão
poetisas e poetas de várias correntes estéticas
abrem a alma ateiam fogos na emoção
liricos dramáticos puros d'expressões ecléticas

todos os anos nasce tão Primaveril
em pétalas de esperança carregadas de amor
a poesia que sente da alma juvenil
o encanto que emana da natureza em flor

todos os anos é um acontecimento
adejando sobre o conflito humano permanente
que  fortalece  no amor o sentimento
da poesia ser na alma a alma de quem a sente

todos os anos de amor e dor amigada
desassossega a poesia nossa intemporalidade
seja qual for a língua por ela falada
no elemento que consubstancia a amizade

todos os anos fértil como a Primavera
renasce da argila do papiro da memória oral
desde há milénios é linguagem que tolera
toda a diferença humana que a torna imortal

todos os anos tão bela dúctil feminina
precisamente aos vinte e um deste mês de Março
a alma da poesia sorri por ser menina

na luz que brilha de ti em mim que não disfarço

 


 

jrg

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa útil - home - pesquisa avançada - últimos posts - tops / estatísticas direito de resposta - área de utilizador - logout informação - ajuda / faqs - sobre o blog.com.pt - contacto - o nosso blog - blog.com.pt no Twitter - termos e condições - publicidade parceiros e patrocinadores