Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

14
Ago11

O ATESTADO DE POBREZA !...

NEOABJECCIONISMO

O ATESTADO DE POBREZA!...


«««//»»»

Este governo que hoje governa Portugal, instituiu de novo o atestado de pobreza, alargado e com carácter permanente...a partir de agora, um cidadão vai comprar o passe social, leva o atestado de pobreza...vai pagar a electricidade, idem...vai ao médico, exibe o atestado...medicamentos na farmácia, atestado...filhos na escola, atestado...ignorância, atestado...banco alimentar contra a fome, atestado...não sabemos ainda se dá para alugar casa...comprar roupa e calçado...ir ao super mercado...sequer sabemos qual o prazo de validade...se diário, semanal, mensal ou anual...eis os cortes na despesa...
*
Lembro-me...o atestado de pobreza era um estigma disso mesmo...pobreza...uma família que queria galgar o patamar da fome e da escassez de produtos essenciais, procurava outros artifícios...trabalho...trabalho e mais trabalho...os filhos saíam da escola para o trabalho...ser pobre era um estigma de não ser capaz...de pouca dignidade...
*
Lembro-me...mudámos do bairro velho...abarracado...o meu pai tinha um emprego precário...carregador e descarregador do tráfego do porto de Lisboa..uns dias sim..outros não...valia a abundância dos recursos 
naturais...cadelinhas..berbigão...lingueirão...e caracóis...mudámos para uma casa decente..com casa de banho e banheira...na expectativa de que alugando no verão aos veraneantes, desse para pagar o aluguer que contrataram anual...aos Sábados e Domingos de Verão, vendíamos refrigerantes na praia...alcofas carregadas de garrafas e gelo...apregoando bebidas frescas...sobre a areia escaldante... ao sol tórrido... só com a mudança de regime político conseguimos melhorar...
*
Indigna-me esta forma de fazer política...dum lado os poderosos das finanças...com seus sábios de pacotilha...malabaristas de escolástica numa sociedade de conhecimento...e penso...qualquer cidadão medianamente instruído governava desta forma...confiscando os direitos...aumentando os rendimentos do estado...sem solução para reduzir a despesa, tida como gorda, o que poria em risco a sua base social de sustentação...
*
Indigna-me a encenação pública do ministro das finanças...a mímica das mãos inquietantes...sedentas de saque...os olhares de espanto perante a nossa ignorância...as justificações paradoxais sobre o absurdo das medidas tomadas...
*
Indigna-me que nivelem a pobreza a um nível inferior de dignidade humana...já ninguém consegue viver com o salário mínimo nacional, se quiser viver fora da família de origem... uma pessoa a ganhar 485 euros mensais, recebe 431,65, aluga um quarto por 200 euros...compra um passe por 60 euros...e restam-lhe  171,65 euros... toma o pequeno almoço no Pingo Doce (pastel de nata e café) 0.75... almoça no Pingo Doce (sopa,queijo fresco e pão) 1,85...janta no Pingo doce (sopa,queijo fresco e pão) 1,85...soma total da alimentação do dia 4,45 euros...30 dias 133,35 euros...nos meses de 31 dias são 137,95...os gastos do mês ficam em  393,50 euros nos meses de 30 dias e 397,95 nos meses de 31 dias...sobram-lhe 39,35 euros ou     33,65 euros, conforme a duração dos meses...
*
estou exausto...diria o ministro das finanças...ainda podia taxar estes 30 e tal euros...com o atestado de pobreza ele poupa nos transportes...pode vestir-se numa instituição de solidariedade...pode comer os restos 
arrebanhados nos restaurantes...
*
e nada disto que está a acontecer em Portugal acaba aqui...porque já não há milagres fiáveis...nem providências imortais...porque não está a acontecer só em Portugal...porque é uma pandemia marginal à humanidade...tecida por mentes criminosas que travaram, em dado momento, a evolução lenta e natural do 
homem...cortaram as linhas do pensamento...aceleraram os ritmos naturais de crescimento para níveis incomportáveis...englobaram-nos em teorias absurdas  de engrandecimento pela materialidade...e agora tratam-nos por milionários, acima dos mil euros...
*
dêem as mãos...resistam à torrente da enxurrada...de mãos dadas em volta da terra...pela humanidade!...
autor: jrg
21
Abr11

O TEMPO NOVO É DE UTOPIA !!!

NEOABJECCIONISMO

 


Zeca Afonso - Vampiros (5/12)

 

 

havia tanto tempo que alimentavam

de sonho em sonho a ilusão

ainda que um pesadelo se intrometesse

habituados aos deuses que os subjugavam

seguiam em frente sem conter a emoção

até que a morte os acometesse

 {#emotions_dlg.redflower}

de súbito todos os sonhos eram de verdade

por mais que os oradores se esforçassem

das mentiras acumuladas saíam prémios de erosão

viver passou a prazo de longa validade

nem deus nem amo que por nós olhassem

remetidos ao silêncio subterrâneo da razão

 {#emotions_dlg.blueflower}

que fazer diziam os ainda salafrários

tão definitivamente descrentes que emigraram

deixando à sua sorte pouca os mais frágeis da nação

porque assim não dá para alimentar os usurários

sequer dá gozo viver entre os pobres que ficaram

fechadas que foram as portas da emigração

 {#emotions_dlg.orangeflower}

e foi assim que nasceu de derradeiro sonho a UTOPIA

agora que não restava nada mais para roubar

havia casas vazias para toda a gente

e campos de ninguém que semear urgia

organizaram as mentes um momento para pensar

distribuíram tarefas justas irmãmente

 {#emotions_dlg.blueflower}

éramos dez e agora somos menos de um milhão

florescem de novo rosas nos passeios

oscila sob a brisa de silêncio o mundo novo

da nova humanidade em construção

abolidos que foram o oiro e o dinheiro nos anseios

a hora é de viver a harmonia natural como povo

 {#emotions_dlg.redflower}

seguiram então a remos os pescadores

puxaram a rede a braços como antigamente

salgaram o peixe excessivo aos magotes

lavraram campos a enxada os lavradores

ceifaram as searas comummente

enquanto outros teciam achas para archotes

 {#emotions_dlg.blueflower}

 os professores transmitiam conhecimento

à sombra das árvores seculares

espalhando sabedoria pelas trevas

a chama assim alimentada sem tormento

fortalecia a unidade e os avanços regulares

que mundo é este aonde me levas...

 {#emotions_dlg.redflower}

 sem dinheiro nem riquezas materiais

sem exército bancos nem ladrões de ocasião

sem sociedades secretas financeiras

a vida decorria bucólica e livre entre os matagais
que sustinham dos ventos a exaltação

até ao mar de cujo sal se equilibravam as fronteiras

{#emotions_dlg.blueflower}

 

 

 

criamos o estatuto povo património da humanidade

todos humildemente ricos em sabedoria

com crescimento humano sustentado

a liderança entregue a representantes por actividade

administrando a justiça com bom senso e parceria

demos a volta antes que nos tivessem enterrado...

 {#emotions_dlg.bouquete}

 

autor : jrg

 


 






 

 

 

13
Mar11

LIBERTAÇÃO DOS ESCRAVOS !!!

NEOABJECCIONISMO

{#emotions_dlg.redflower}{#emotions_dlg.blueflower}

 

*****

o dia amanheceu primaveril
depois de prolongada troca de mensagens
a actividade humana foi paralisada
ruas desertas lojas fechadas era Abril
nem sinal de gente nas paragens
os povos cansaram pela madrugada

lindo de ver os tão afoitos agiotas
à míngua de iguarias já famintos
desesperados de ter tanto e não ser
exibindo sem pudor nem resposta suas notas
suplicando comer e vinhos brancos tintos
tão frágeis sem abrigo antes de morrer

não se pagam as contas de gás e electricidade
nem as rendas arbitrárias da habitação
a água corre livre nas torneiras ruas e quintais
instituído o caos à revelia da autoridade
a memória colectiva a funcionar como razão
por entre gritos de vivas de nunca mais

por todo o planeta ocorre a agitação
saídos do cerco económico e financeiro
do trabalho sem glória do estudo sem emprego
os povos assumem de viver outra dimensão
extinguem o conceito em cada palavra ligeiro
que os condenava ao desassossego

exigem uma língua única uma só moeda
que o mundo global seja reduzido a uma só nação
que todo o ser humano tenha iguais deveres e direitos
que se salvaguarde da natureza a queda
que se distribuam os excedentes sem interrogação
que todos os seres sintam na vida seus proveitos

que seja estimulado sem segredos o conhecimento
que cesse a propaganda do marketing e da religião
que o mais forte não oprima o fraco sem recursos
que a sabedoria impere sobre o fingimento
que não se fabriquem bens impróprios por sofreguidão
que sejam extintos os privilégios fixos e os avulsos

que se extingam as armas e todos os exércitos
que a ciência não promulgue a indulgência na absolvição
que sejam repostas as leis usurpadas à natureza
que às espécies diferentes se reconheçam seus créditos
que seja assegurado o direito à liberdade de expressão
que cesse sobre a mulher a violência psicológica da tristeza



autor: jrg

12
Fev11

NA PRAÇA TAHRIR A VITÓRIA DO AMOR

NEOABJECCIONISMO

 

imagem tirada da net

 

 

{#emotions_dlg.bouquete}

 

a Lótus florescerá no mistério do novo Egipto
por entre os corpos nus ensanguentados
sendo nesta mudança o que tanto tão de súbito
iluminará de esperança os mal amados

 

quando os povos tomam de si a consciência
da fragilidade de quem diz ter o poder
não temem antes reforçam toda a evidência
à morte sofrimento ao medo de perder

 

apetece lembrar a alma da revolta Francesa
o povo sitiado na tal comuna de Paris
as sufragistas na América da brutal riqueza
a revolta mental de 68 que também fiz

 

por todo o mundo o povo quando se desperta
e cansa da mentira  a máscara d'ilusão
avança sobre a tirania que a liberdade aperta
elege amor como força inteira da razão

 

foi assim Abril setenta em quatro em Portugal
na tragédia que vitimou povo em Timor
a luta dos sem terra no Brasil imenso colossal
porque os povos não vivem sem amor

 

fim à batota aos interesses de uns à corrupção
queremos ser na história interventores
não basta que o sangue aflua irrigue o coração
quando a mente se confunde de favores

 

a juventude  sem rumo inundou a praça Tahrir
um mar de gente confrontou os ditadores
bem sabemos quanto do sonho fica por cumprir
mas nada será igual na tenda dos horrores

 

bem sabemos que o poder politico organizado
se encarrega de mascarar estas conquistas
as culpas serão só do tirano ou do antepassado
as leis serão as mesmas ainda que revistas

 

pelo nu deserto onde as Pirâmides majestosas
são a memória da grandeza humana
floresçam plantas e flores de cores tão viçosas
que contagiem de odores a mente insana

  

autor: jrg (fevº 2011)

 

16
Jan11

OBEDECER...DESOBEDECER!!!...

NEOABJECCIONISMO

Democracia ("demo+kratos") é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos (povo), direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual. Uma democracia pode existir num sistema presidencialista ou parlamentarista, republicano ou monárquico.

 


 

As Democracias podem ser divididas em diferentes tipos, baseado em um número de distinções. A distinção mais importante acontece entre democracia direta (algumas vezes chamada "democracia pura"), onde o povo expressa a sua vontade por voto direto em cada assunto particular, e a democracia representativa (algumas vezes chamada "democracia indireta"), onde o povo expressa a sua vontade através da eleição de representantes que tomam decisões em nome daqueles que os elegeram. Outros itens importantes na democracia incluem exatamente quem é "o Povo", isto é, quem terá direito ao voto; como proteger os direitos de minorias contra a "tirania da maioria" e qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes ou outros executivos.


 

Item retirado da Wikipédia


 

***

 

penso que o problema que se coloca é bem outro...o de saber como proteger os direitos da maioria que nós somos, contra a tirania de uma minoria que eles são...:    na idade média prestavam vassalagem ao papa...hoje prestam vassalagem aos mercados...é tempo de nos prestarem vassalagem a nós...a imensa multidão do reino global da macacada... jrg


 

*

 

“votar branco...” como dizia Saramago?

 

Dedicarmo-nos à horta e à pesca para sobreviver?

 

Caçar com laço e ratoeira artesanal, carago?

 

Alguma coisa vamos ter que fazer

 

**

 

OBEDECER OU DESOBEDECER!!!...


 

**
 

ninguém tem de ter medo ou inveja de mim


 

não sou douto de nada sou aprendiz


 

de tudo o todo que eu faço até que seja fim


 

procuro na alma humana ser feliz


 

*
 

quem é essa gente tida como importante


 

que olha de cima e nos acorrenta


 

a um conceito de povo e de nação possante


 

e nos tira o norte que nos orienta


 

*
 

que faz um poeta dentro dum verso afilado


 

esgrimindo as palavras malditas


 

que edificam o novo conceito livre do estado


 

concebido nas ideias interditas


 

*
 

penso nos efectivamente doutos acomodados


 

nas mordomias do estado e da confraria


 

não dizem nada enchem o papo bicos calados


 

não vá alguém acordar e tirar a alforria


 

*
 

em todos os tempos poetas famosos bramaram


 

contra a tirania dum poder absoluto


 

alguns ostracizados foram condenados a pedintes


 

ante a legião de eruditos que afrontaram


 

perante a arrogância exibiram o caráter resoluto


 

formando mentalidades novas sem requintes


 

*
 

atiro palavras como pedras ao charco lamacento


 

e já não recolho sinais energéticos


 

uma libelinha pousa nos nenúfares sob céu cinzento


 

entre pessoas que me fitam patéticos


 

*
 

olho em volta do mundo gente afim globalizada


 

olho os ditadores de feição democrática


 

submissos uns comem de tudo outros comem de nada


 

todos aplaudem a mando da nova escolástica


 

*
 

Obama Berlusconi Sarcozy Merckle Sócrates zapatero


 

Putin e tantos outros na ribalta do efémero poder


 

os financeiros são entidades abstractas


 

há mentes criminosas atrás do dinheiro


 

inventaram um sistema de teias para nos conter


 

não são máquinas mas gente e servem ideias compactas


 

*
 

eles contam com o medo que nos impõem os arautos


 

mas a mesa farta onde se lambuzam


 

é obra de todos nós distraídos controversos incautos


 

paremos para pensar porque nos abusam


 

*

 

não é suficiente dizermos basta e talvez morrer


 

nem há nada mais para inventar


 

tudo o que há está arquivado na memória de viver


 

mãos à obra humanos vamos ganhar!!!


 


 


 

autor:jrg

31
Dez10

TANTO MISTÉRIO!!!...

NEOABJECCIONISMO

{#emotions_dlg.sol}

em toda a volta deste espaço Terra
há um vácuo espesso sem fim
onde paz é ilusão dentro da guerra
no movimento da alma em mim

 

por toda a volta do meu pensamento
movem-se silêncios agitados
talvez de não saber qual o momento
que somos da vida arredados

 

a terra toda idólatra à volta do sol
todos os dias renova segredos
que adensam a nossa solidão em farol
luz absurda de todos os medos

 

há toda a abstracta ávida solidão
nenhum outro sobrevivente
exibe deus ou sorte em contra-mão
ou raciocina pensa e sente

 

penso sabedoria genética selvagem
amor em bruto catalizador
inscrita no instinto sem clivagem
sendo do outro respeitador

 

não me te sorrio em pura consciência
um toque iónico e translúcido
gera emoção num olhar numa evidência
de ser apenas o homem vencido

 

estou aqui suspenso no vácuo do céu
emtre estrelas cometas atritos
em cada ano que passa levanto o véu
para que se ouçam meus gritos

jrg

25
Dez10

MOVIMENTOS ANAIS...

NEOABJECCIONISMO

MOVIMENTOS ANAIS

 {#emotions_dlg.sol}

minha ambição é toda a alma humana
por ela vou eterno confiante
levo a memória milenar das origens
sonho que do pensamento emana
levo o amor que me fez fiel amante
fantasia que me traz vertigens

*

há um sonho secreto para desvendar
que desde criança me acompanha
faz parte do meu ser mais original
um sonho talvez de olhar o mar
de sentir no vento a alma estranha
ardências do meu fogo visceral

*

ou este pesadelo da alta madrugada
que me acorda em suores frios
entalado entre a mentira a verdade
ante a lei de não ser ou nada
navegante sem rumo por entre rios
à beira de abismos da vontade

*

quem me prende o livre pensamento
a pausa a dúvida a sensaboria
a barbárie que destruiu testemunha
voltar atrás por um só momento
montar de novo tragédia e alegoria
colher do riso e da caramunha

*

sendo alma o instinto humanitário
plena de sensores biocósmicos
agindo no nosso corpo intermitente
em interligações e sem horário
secreto sistema de canais iónicos
que propagam na emoção a mente

*

respiro fundo num olhar alucinado
dentro do sonho outro sopesar
a Terra gira em torno de si mesma
arrasta Lua e Sol apaixonado
e em volta dele majestosa a girar
mantém expectativa do sistema

*

meio século rotação e translação
à roda do eixo belo feminino
a cada movimento avulta descoberta
do novo sentir amor o coração
o sonho revela segredos de menino
na minha alma inculta de poeta

*

conto os anos que passam a correr
nesta avidez de ganhar à morte
desdenho hiatos contemporizadores
filtro luz na esperança querer
procuro o rumo que devolva o norte
traço de união dos meus amores

 
jrg

22
Dez10

N A T A L ...???!!!

NEOABJECCIONISMO

foto tirada da net

 

{#emotions_dlg.bouquete}

***

não me preocupa tanto

que crianças não satisfaçam fantasias

na data induzida por encanto

pelos média e poderes sem demasias 

 

o que me preocupa e agonia

é que o sonho a fantasia desapareçam

do pensamento sendo mais valia

e crianças de fome e medo desfaleçam

 

não atormenta a minha dor

a data festiva de Natal convencionada

a orgia das dádivas do amor

sobre a hipocrisia de ser tudo ou nada

 

o que me desespera e inquieta

é ante a injustiça sentir a impotência

que leva o sonho da alma do poeta

e que adormece a humana consciência

 

não me fere nem incomoda

que me desejem felicidade pelo Natal

me perdoem a violência toda

que meu erro de julgar seja mortal

 

o que a alma me desassossega

é sentir que ordenaram nossas vidas

em nome do conceito que sonega

a liberdade de viver em plenas dúvidas

 

quero para todo o mundo farra imensa

comam bebam encham a pança

partilhem presentes esqueçam a sentença

que paira impunemente sobre a esperança

 

quero dizer que amor não tem data marcada

nem é único na humana virtude

todo o animal ama por instinto à descarada

só o homem degenera na atitude

 

não há credo nem religião ou seita que subsista

quando os códigos secretos se decifram

pela sabedoria do conhecimento inda que insista

a metáfora dos poderes que nos esmifram

 

quero saudar ateus cristãos judeus e islamitas

e todos os ramos da espiritualidade

dos mais humildes seres aos arrogantes e eremitas

não há amor maior que o da saudade 

 

autor jrg

22
Nov10

MEU SONHO...

NEOABJECCIONISMO

 

o meu sonho é ser duma só pátria

onde a alma pura se evidencia

e não o ser da língua povo ou pária

que na dor me e te silencia


o meu sonho é ser de toda alma humana

no Universo total a expressão

que não se esgota na mente insana

é sangue que bombeia o coração


o meu sonho é amar a alma Universal

onde a Pátria da língua gera a violência

e não este silêncio mesquinho ritual

em que mergulha a falsa independência

 

o meu sonho é erradicar o medo

desde há milénios na alma instalado

o que cala a verdade no segredo

ainda que viva nesta Pátria exilado


o meu sonho é transformar o mundo

catalogado em números adversos

numa só Nação onde o amor profundo

liberta de conceitos complexos


o meu sonho é plantar na alma a esperança

criando raízes profundas intemporais

que floresça em cada sorriso de criança

e resista sem lesões aos vendavais


o meu sonho é ser homem pleno por inteiro

amante de mim e de toda a natureza

apelo ao consciente da minha inconsciência

que me revele o mistério verdadeiro

porquê a alma assume tão tanta beleza

quando se despe e nua mostra a sua essência
jrg

03
Nov10

SAKINEH - ( IRÃO )

NEOABJECCIONISMO

 


uma mulher é condenada
a morrer por apedrejamento
pelo crime de adultério
a turba junta as pedras da calçada
alucinados pelo ajuntamento
gritam palavras contra o impropério

{#emotions_dlg.orangeflower}

o corpo dela encolhido sem apelo
um último olhar de súplica à multidão
os olhos doces de quem ama ser
por um momento o quebra gelo
que rompe da barbárie a solidão
apadrinhada por um sórdido poder

{#emotions_dlg.blueflower}

levantam-se vozes no mundo inteiro
porque a mulher é o ser supremo
gera e cria toda a criatura humana
não há ciência nem dinheiro
que altere a dimensão por isso tremo
impotente de travar razão insana

{#emotions_dlg.bouquete}

é apenas um corpo só de uma mulher
a alma dela ilesa fixa o mundo
chovem as pedras no corpo que atormenta
nem um grito no seu silêncio de sofrer
os olhos abertos procuram ver ao fundo
quantas das pedras frustração que acorrenta

{#emotions_dlg.blueflower}

pego na alma de SAKINEH amortalhada
levanto o estandarte do amor
vou de povo em povo dentro do poema
pelos lugares na Terra onde a mulher humilhada
seja tida como a mãe que resiste à dor
livre do preconceito e da algema

{#emotions_dlg.redflower}

autor: JRG

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa útil - home - pesquisa avançada - últimos posts - tops / estatísticas direito de resposta - área de utilizador - logout informação - ajuda / faqs - sobre o blog.com.pt - contacto - o nosso blog - blog.com.pt no Twitter - termos e condições - publicidade parceiros e patrocinadores