Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

03
Mar13

A REVOLUÇÃO ADIADA !

NEOABJECCIONISMO


A REVOLUÇÃO ADIADA!
**
no palco havia
uma frente de mulheres aguerridas
ante uma multidão
de gente sofrida que grita abaixo a tirania
fora com os ladrões
era Lisboa no terreiro do povo
rendida ao canto
das palavras vestidas de indignação
vibrantes as vozes
dessas mulheres que da frente liam
proclamando um manifesto
do que não queremos para as nossas vidas
emocionam-se os poetas
as gentes e as crianças manifestam-se
está tudo ali quase um milhão
a ver se sai a palavra do povo que mais ordena
a ordem de ali mesmo acampar
até que os bandidos larguem o osso
mas o que sai são pedidos pungentes de fora troika
nada de violência
havemos de os cansar bramando até à insolvência
enquanto o país se arruína
porque a alma do povo ainda anda à deriva
eram tantas as mulheres
que naquele palco ante a multidão havia
mas nenhuma era Maria da Fonte
e se fossem! que desígnios de governo nos traziam?
quase um milhão de gente
inundou o Terreiro do Povo em Lisboa
e a revolução parou à hora da saída
***
autor: jrg
10
Fev13

A REVOLUÇÃO DA IDEIA...

NEOABJECCIONISMO

**
A REVOLUÇÃO DA IDEIA...
***
a ideia
desce vertiginosamente
das alturas
onde a tinham em clausura
os artificies
da grande mentira do século
e fez-se luz
**
a ideia
definiu as forças em presença
dum lado
os poderes do crime financeiro
oratória armas ouro
e meios de transmissão d'elite
arreganha dentes
**
a ideia
contrapõe a ode com alegria
a expansão do amor
a inversão da podre hegemonia
pela força feminina
assente na visão Matriarcal da vida
reforçando a esperança
**
a ideia
exalta a consciência da mulher
a não confiar
seus filhos seus sonhos e a memória
ao poder da tirania
porque o tempo é de mudança
para a vida
**
a ideia
fomenta a partilha d'emoções
afronta o medo
convida a resistir à ilusão
da perda do salário
por ter parado o país desconjuntado
e não pensar
**
a ideia
pensa que a perda ocorre em dobro
no vício do jogo
que o tirano baralha a seu favor
sem limites
porque é criminosa a sua índole
não dá mais ir a jogo
**
a ideia
clama evolução de pensamento
se não faz sentido
dar passos infrutíferos em volta
por um pouco de nada
mudemos a direcção fantasmagórica
de sinal tirânico
**
a ideia 
manda parar a actividade humana
sem pedras da calçada
nem archotes para destruir vingando
os crimes do poder
antes o silêncio dos corpos ou o batucar
de tachos e panelas
**
a ideia
proclama a alma genuína inteira
das mulheres de bem
dos homens sensatos a condenarem o crime
perpetrado por mentes criminosas
dissolvendo na rua o sistema corrupto
e mudarem a vida
**
a ideia
exige a saída da palavra armada
delineada a estratégia
evitando as armadilhas venenosas
fechadas as saídas
as palavras calam o vómito arrogante
e inversam o poema
**
a ideia
sai à rua disposta a combater
a déspota governação
emitido o mandato popular de captura
dá ordem de prisão
e leva a julgamento os criminosos
fim de citação


jrg
03
Fev13

UM DISCURSO DO MÉTODO! ou a constituição amordaçada...

NEOABJECCIONISMO
prefácio:um poema não é forçosamente uma proclamação revolucionária, mas ajuda à posição das palavras para alinharem em formação de combate...talvez contribua para o alinhamento da alma num factor emergente de união...faz,sem dúvida,parte duma estratégia de esperança...assim uma mulher se cole a ele em cada sílaba...
foto pública tirada da net
*
UM DISCURSO DO MÉTODO!
ou a constituição amordaçada

***
este governo
apresenta sinais de demência
avançada
é esquecido e incapaz de vislumbrar
o norte
justifica o confisco de bens
por emergente
caucionando o acto vil de roubar
com emergência financeira
este governo é loquaz na mentira
perturba a mente humana
subverte a ordem constitucional
é subversivo
julgado pelo povo descontente
no tribunal da rua
veste a pele ensanguentada do cordeiro
baralha o jogo
e rouba agora mais descaradamente
lançando o pânico
por onde já espalhara o medo
é cruel e desvalido
incompetente para ser humano
trogloditas das trevas
deve por isso ser pela ideia travado e abatido
à memória futura
custe o que custar à nação inteira
Venceremos!
tenho dito!!!
jrg
29
Jan13

ACUDAM...QUE ENTERRAM A NAÇÃO...

NEOABJECCIONISMO
foto pública tirada da net
**
ACUDAM... QUE
ENTERRAM A NAÇÃO
«««//»»»
quem sou eu
para te nos ou vos dizer
avança amiga amigo
se tenho medo ao terror do escuro
que gera raiva
na nossa indignação
*
mas digo
a vencer-me em segredo
como náufrago
submerso querendo respirar
anda comigo
a coberto da luz diáfana do amor
*
é tão raro amar
que ninguém dará por nada
como cães famintos
à porta fechada dos senhores
pela liberdade de viver
soltaremos uivos de presságio
*
seremos estátuas
em sentido mas discretas
coroadas de flores
à espera que os ventos se juntem
libertando coesas
nossas almas doridas de dor
*
desçam à cidade
vejam como está despida de gente
quando antes
ainda havia a hora de ponta
o metro tem lugares
e mendigos em cada porta
*
é tempo de vestir
a cidade duma multidão de pessoas
despojadas do nexo
que fazia sentido sonhar e ser
colori-la de luz
de vida risonha e feliz
*
"Lisboa tinha-a a tirania
quem a havia de tomar
o povo vestido de fantasia
e os soldados a ajudar..."
*
dirão que caiu na rua
o poder que o tirano tinha usurpado
mercadores usurários
corruptos e seus serventuários
de que poder falarão?
se somos o povo nato da Nação
*
jrg
23
Jan13

O REGRESSO AOS MERCADOS DEPOIS DO POGROM SOBRE OS REFORMADOS...

NEOABJECCIONISMO
«««»»»
Depois do Pogrom sobre os reformados, confiscando-lhes parte das pensões, comparados aos Cristãos-Novos da crónica de Damião de Góis abaixo transcrita, da devastação da economia, com o consequente aumento do desemprego, da destruição do SNS, da conspurcação da alma Portuguesa, este governo de Portugal, manda anunciar o regresso aos Mercados, única bandeira que serviram desde que assumiram o poder de governar o Estado/Nação...
Não tarda, se conseguir provocar a euforia entre os trabalhadores que ainda têm emprego, sitiados pelo corte de salários, de sonhos e aumento de impostos, a cena descrita na Crónica de Damião de Góis, que originou o massacre de Lisboa de 1506, pode voltar a renascer, culpando os pensionistas, reformados e idosos em geral, por todos os males de que a Nação padece...Já hoje é igualmente notícia a sentença do" Imperador" do Japão..."só quando os velhos morrerem...ou...se todos os velhos morrerem, será a salvação dos estados em crise financeira...
Estamos no limiar duma revolução cósmica...o velho humanismo definha sem nunca se ter afirmado na plenitude dos seus propósitos e objectivos...os direitos humanos ficam de novo à mercê do livre arbítrio, da insaciabilidade financeira das obscuras entidades que dominam o mundo,,,
Quero gritar a esperança, sem medo, aquela luz que vedes, não é um milagre...é apenas uma luz que alguém acendeu com o propósito de vos, nos cegar a consciência...com o tempo ela se apagará e voltaremos a mergulhar na escuridão...
A esperança reside na organização do estado em plano raso...sem faustos nem iluminados...partindo dum princípio de liberdade e democraticidade participada e autêntica, tendo em conta o elemento feminino como a génese da história da humanidade...
autor: jrg
Damião de Góis in «Chronica do Felicissimo Rey D. Emanuel da Gloriosa Memória»:
«No mosteiro de São Domingos existe uma capela, chamada de Jesus, e nela há um Crucifixo, em que foi então visto um sinal, a que deram foros de milagre, embora os que se encontravam na igreja julgassem o contrário. Destes, um Cristão-novo (julgou ver, somente), uma candeia acesa ao lado da imagem de Jesus. Ouvindo isto, alguns homens de baixa condição arrastaram-no pelos cabelos, para fora da igreja, e mataram-no e queimaram logo o corpo no Rossio.
Ao alvoroço acudiu muito povo a quem um frade dirigiu uma pregação incitando contra os Cristãos-novos, após o que saíram dois frades do mosteiro com um crucifixo nas mãos e gritando: “Heresia! Heresia!” Isto impressionou grande multidão de gente estrangeira, marinheiros de naus vindos da Holanda, Zelândia, Alemanha e outras paragens. Juntos mais de quinhentos, começaram a matar os Cristãos-novos que encontravam pelas ruas, e os corpos, mortos ou meio-vivos, queimavam-nos em fogueiras que acendiam na ribeira (do Tejo) e no Rossio. Na tarefa ajudavam-nos escravos e moços portugueses que, com grande diligência, acarretavam lenha e outros materiais para acender o fogo. E, nesse Domingo de Pascoela, mataram mais de quinhentas pessoas.
A esta turba de maus homens e de frades que, sem temor de Deus, andavam pelas ruas concitando o povo a tamanha crueldade, juntaram-se mais de mil homens (de Lisboa) da qualidade (social)dos (marinheiros estrangeiros), os quais, na Segunda-feira, continuaram esta maldade com maior crueza. E, por já nas ruas não acharem Cristãos-novos, foram assaltar as casas onde viviam e arrastavam-nos para as ruas, com os filhos, mulheres e filhas, e lançavam-nos de mistura, vivos e mortos, nas fogueiras, sem piedade. E era tamanha a crueldade que até executavam os meninos e (as próprias) crianças de berço, fendendo-os em pedaços ou esborrachando-os de arremesso contra as paredes. E não esqueciam de lhes saquear as casas e de roubar todo o ouro, prata e enxovais que achavam. E chegou-se a tal dissolução que (até) das (próprias) igrejas arrancavam homens, mulheres, moços e moças inocentes, despegando-os dos Sacrários, e das imagens de Nosso Senhor, de Nossa Senhora e de outros santos, a que o medo da morte os havia abraçado, e dali os arrancavam, matando-os e queimando-os fanaticamente sem temor de Deus.
Nesta (Segunda-feira), pereceram mais de mil almas, sem que, na cidade, alguém ousasse resistir, pois havia nela pouca gente visto que por causa da peste, estavam fora os mais honrados. E se os alcaides e outras justiças queriam acudir a tamanho mal, achavam tanta resistência que eram forçados a recolher-se para lhes não acontecer o mesmo que aos Cristãos-novos.
Havia, entre os portugueses encarniçados neste tão feio e inumano negócio, alguns que, pelo ódio e malquerença a Cristãos, para se vingarem deles, davam a entender aos estrangeiros que eram Cristãos-novos, e nas ruas ou em suas (próprias) casas os iam assaltar e os maltratavam, sem que se pudesse pôr cobro a semelhante desventura.
Na Terça-feira, estes danados homens prosseguiram em sua maldade, mas não tanto como nos dias anteriores; já não achavam quem matar, pois todos os Cristãos-novos, escapados desta fúria, foram postos a salvo por pessoas honradas e piedosas, (contudo) sem poderem evitar que perecessem mais de mil e novecentas criaturas.
14
Jan13

DISSESTE-ME...

NEOABJECCIONISMO
Botticelli
*
{#emotions_dlg.blueflower}
DISSESTE-ME...
***

disseste-me
que em Março era Primavera
e faltava tanto tempo
contei os dias que pareciam anos
e eram apenas dias
mas tantas as palavras e os actos
que torturavam minha alma
que temia não ter tempo de alcançá-la
mitigado na afronta
que o poder dos deuses me infligia
*
disseste-me
que uma nuvem de esperança
um novo humanismo
vestido com a sabedoria feminina
aniquilaria os tiranos
com um toque cósmico de consciência
olhei o céu segui
a rota dos ventos e correntes de marés
e eram negras as nuvens 
no silêncio compacto do meu grito
*
disseste-me
não desistas nunca de sonhar
sem dizer que sonhaste
não vá o papão acordar e taxar os teus sonhos
ergue um muro de coragem
à volta das oníricas instantes imagens
aperta mãos cinge corações
agita pensamentos almas profecias
onde houver gente a dormir
ateia fogos de revolta que fertilizem liberdade
*
disseste-me
que em Março renascia a Primavera
sublime de encanto paz amor
envolta num sol resplandecente de luz
rompendo a treva o pesadelo
mas tarda estou descompensado em agonia
faminto de decência e de justiça
carente dos valores que dão sentido à vida
apetece-me não ser desta espécie
emigrar a alma deixando o corpo apodrecer
*
disseste-me
não partas precisamos de ti à mesa
onde celebraremos a vitória
envenenámos o sangue que eles nos beberam
não tarda suplicarão a sua morte
vomitarão a nossa dignidade que engoliram
asfixiados na mentira
precisamos de ti no banquete à despedida
na toca das feras desavindas
põe a mesa dispersa o pão e a água
*
disseste-me
bem te ouvi amiga vigorosas as palavras
mas eu já estava amortalhado
amanhã seria já tarde porque era ontem o tempo
da orgia sangrenta à liberdade
abriste um hiato na treva que então me levava
átomos de luz catársicos
porque eu era os demais desesperados
eu era o desperdício
pela bandidagem de governo descarnado
*
disseste-me
levanta-te a Primavera está à tua espera
refulge no acordar da madrugada
tantas amigas em volta me encarnando
era delas o pensamento novo
lusas gregas d'itália francesas e espanholas
eslavas hindus americanas chinocas
árabes oceânicas numa tela gigantesca a adejar
acreditei de novo agora com sentido
era de África o som que ouvia vindo do passado


autor: jrg
09
Dez12

OS DEZ MANDAMENTOS QUE CONDENAM O XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL DA REPÚBLICA PORTUGUESA !!!

NEOABJECCIONISMO
quadro de Rembrandt
»»»//«««
OS DEZ MANDAMENTOS QUE CONDENAM
O XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL
DA REPÚBLICA PORTUGUESA !!!
I
não roubarás
mas passos e gaspar roubaram
primeiro os reformados
que indefesos já não distinguem deus de barrabás
depois os outros que acreditaram
que era já farta a fome dos poderes esfaimados
II
não matarás
mas os macedos sanguinários
sinistros de pica e bastão
condenaram à morte lenta sem pira nem gaz
sob aplausos correligionários
os demais sobreviventes da inclitica nação
III
não cobiçarás
nem a mulher nem a coisa alheia
mas as portas corriqueiras
abrem a frente aos negócios com a mão atrás
e abrem a traseira coisa feia
com as luvas sempre cheias e certeiras
IV
Não mentirás
nem sobre os ídolos da constituição
que reconhece o povo soberano
por falsa castidade  ou desgoverno  não te rirás
enquanto vendes alma e coração
que é dos bens terrenos o mais humano
V
não governarás
adorando os ídolos ímpios estrangeiros
reduzindo à miséria o teu povo
ao demónio a tua alma e a riqueza entregarás
como resgate dos dinheiros
que perdeste no vício do viciado jogo
VI
não honrarás
a memória dos teus egrégios e santos avós
destruindo tudo o que deixaram
a dignidade de livre não precisa d'alvarás
ou da caridadezinha dum motar a sós
condeno-vos a devolverem o que já roubaram
VII
não odiarás
sobre todas as coisas o reformado e o trabalhador
nem mulher que anseia pão para seu filho
contra o senhor dos exércitos não mais te revoltarás
farei que pagues por toda justiça sem amor
condeno-vos ao exílio para que aprendeis o novo trilho
VIII
não ignorarás
a vontade e o saber no povo acumulado
nem o Sábado e o Domingo
porque são os dias da marcha contra o teu ídolo Satanás
a quem seguis de veras obstinado
condeno-vos à fuga permanente e sem abrigo
IX
Não sobreviverás
ao adultério das leis comuns e das constitucionais
à falsa castidade nem aos ardis
por onde rastejais... de onde vindes? de Alcoentre ou Alcatraz?
mando que acordem os lusos que apagais
que em cada coração se eleve a chama dos amores que fiz

X
Não Passarás
incólume pelo silêncio protestativo da multidão
em cada lamento nasce a coragem
perante a qual ao seres derrubado te calarás
de nada te valendo a oração
porque deus não perdoa à vilanagem

autor: jrg
18
Out12

PORTUGAL DE MARESIAS !

NEOABJECCIONISMO

imagem pública tirada da net

**

PORTUGAL DE MARESIAS
*
o país vai afundando
sem governo
nem arte de o marear
naufragando
numa maresia de veneno
à luz do medo e ao luar
à toa do inútil memorando
*
o país segue em cortejo
onda de ventos
a reboque da trama dos tiranos
alvos de motejo
com o país a passos lentos
em rotos panos
virado d'avesso como o vejo
*
a malta sai p'ra rua
dos tormentos
que já fora d'Árabes e romanos
agora é toda sua
alvor de puros sentimentos
mais humanos
e da realidade nua e crua
*
meu país de sol de mar e fogo
terra maninha fértil
d'olhos d'ao pé d'aver o mar
perdido em torpe jogo
num antro fumado de batota vil
impedido de jogar
que vai a pique logo logo logo
*
país de flores de brandos ventos
de aromas sensuais
de gente tão de boa cuja beleza
usa alma por sustento
livres pensadores mais além Universais
que amam sua natureza
não a vendem nem por testamento
*
povo rude mas assaz inteligente
ao ver do lobo a veste
na sua roupagem de vítima informal
agiliza a sua mente
exalta o que resta da alma luta resiste
à traição a Portugal
por criminosos de aparência galante
*
mas já não há nem nacionalismo
o que há são pessoas
ligadas pela terra e língua mãe
a libertarem-se d'egoismo
dispostas a construirem coisas boas
com esperança e sonho nada as detém
são a força do novo humanismo

*

 dantes não tínhamos nada

fomos por esse mundo fora à conquista
atrás da ambição dos loucos
hoje temos o mais que sobra da fornada
não desperdicemos d'altruísta
hoje que somos muitos antes tão poucos
a alma da nação nossa amada

*

autor: jrg

10
Out12

PROCLAMAÇÃO PELO RESGATE DA ALMA PORTUGUESA!!!

NEOABJECCIONISMO
***
imagem pública tirada da net
*
PROCLAMAÇÃO
PELO RESGATE DA ALMA PORTUGUESA!!!
:::=:::

Considerando que este governo que hoje se governa em Portugal, penhorou a alma do povo Português...
Considerando que o mesmo governo, tem uma ânsia voraz de saquear os rendimentos do trabalho a todo o custo...
Considerando que o país, Portugal, se encontra mergulhado num marasmo, pela inércia e pela indignação geral, face ao desemprego, à falência de empresas e projectos, à perda da esperança...
Considerando que este governo não tem ideias nem competência nem valências, nem sensibilidade humana...
Considerando que este governo atira o país e o povo para o abismo...
Proclamamos:
- A demissão imediata deste governo e apuramento dos eventuais crimes de ilícitos contra o povo, desde logo a forma como se ressarciram ao privarem-se dos lautos vencimentos que usufruíam na área privada...
- A devolução imediata dos salários, chamados subsídios, a todos os trabalhadores e reformados vitimas deste saque hediondo...em dinheiro vivo ou sob a forma de certificados de dívida pública ao mesmo juro que se paga aos credores...
- A renegociação da chamada dívida pública de Portugal, com auditoria independente e popular, para apuramento da sua real dimensão e justeza, do ponto de vista das relações humanas e o seu ajustamento à realidade de hoje, com pagamento diluído por vários anos, de acordo com a nossa sustentabilidade...
- A declaração de neutralidade do estado Português...
- A análise às condições de permanência na zona euro e a eventual saída se se verificar que o país não suporta estas condições extremas de aderência...
- A denúncia imediata de todos os contratos com as PPP, sem qualquer indemnização por parte do estado...
- A cessação das chamadas rendas energéticas, e outras subvenções de carácter obscuro a fundações, clubes ou associações desportivas e ou de utilidade pública...abolição dos institutos públicos que não tenham reconhecida importância para o funcionamento da coisa pública...
- A suspensão das privatizações já agendadas...
- A criação dum imposto sobre as grandes fortunas, juros de capitais, mais valias bolsistas e outras, bem como sobre o património de luxo, móvel e imóvel...
- O estabelecimento, nas actuais condições, dum salário mínimo Nacional, no valor de E 800 (euros) e dum salário máximo de E 8.000 (euros) , sem quaisquer outras com participações, para toda a administração pública e empresas públicas ou privadas...
- A exortação aos empresários para que abracem a causa do desenvolvimento da comunidade Portuguesa, estimulando e apoiando os altos índices de criatividade, dos trabalhadores Portugueses-..
- A exortação aos trabalhadores para que se lancem com a alma resgatada, unidos pelos mesmo ideal de vida e valores humanos, para, com a pujança, a arte e a sabedoria dos seus conhecimentos e vontade, impedirem o ultraje de sermos absorvidos como parte da massa falida do estado e da Nação...
- A denúncia de todos os actos ou indícios de corrupção ou favorecimento pessoal ou de grupo, por parte de quem dele tenha conhecimento, seja por ver, por ouvir, ou sentir que a coisa pública está a ser vilipendiada, desviada dos seus objectivos humanitários, ou roubada em proveito pessoal ou de grupos de interesses...
- A redução da frota de viaturas ao serviço de agentes do estado e autarquias a um mínimo essencial ao funcionamento racionalizado dos actos de administração e representação...
- A redução a zero, das habitações de luxo para instalação de serviços e ou personalidades, tipo o Palácio de Belém ou o Campus da Justiça...
- O fim das subvenções a partidos políticos...
- O aproveitamento de professores e outros agentes de educação para uma campanha geral de instrução à população de Portugal,  nas áreas da língua, da matemática, da história e da educação cívica, sem o que o povo permanecerá fragilizado perante a demagogia dos oradores bem falantes e sem escrúpulos de cidadania...
- O fortalecimento do apoio aos actos culturais que divulguem, dimensionem, e consubstanciem a alma Portuguesa...
- O trabalho da terra deve ser intensificado contra todas as barreiras que nos foram sendo impostas...hortícolas, pomares, flores, culturas de sequeiro ou de regadio, rasguemos a terra com as enxadas se não houver máquinas, rasguemos a terra com as mãos se não houver enxadas...desenvolver a pecuária e as actividades leiteiras... e todas as actividades de conservação de alimentos...
- O trabalho do mar onde houver pesqueiros, a intensificação da aquacultura e das actividades derivadas da pesca, a congelação, a secagem  e a conserveira...
- A reorganização da justiça, de modo a que todos sejam tratados por igual, de facto,procedendo às alterações julgadas necessárias que hoje dificultam a sua aplicação com celeridade e justeza...
- Um perdão generalizado de dívidas que recaem sobre as pessoas, vitimas da usura e da propaganda que as levou a exacerbarem o consumo, fim das penhoras sobre salários e ou casas de habitação, para todos os cidadãos com salários ou pensões abaixo dos E 2.000 (euros) ou desempregados...
- A reorganização das forças policiais numa só entidade...
- A reorganização das forças armadas... a sua redução até limites sustentáveis e de modo a contribuírem para a formação defensiva de toda a população a partir dos 18 anos, em acções pontuais e centralizadas numa perspectiva de defesa da alma e da terra Portuguesa...
- A descriminalização de todo o tipo de drogas hoje consideradas ilícitas e a sua venda livre nas farmácias, acompanhada de uma pedagogia de alerta,desde a escola, para os efeitos e perigos de insanidade que tal uso pode provocar aos consumidores, como sendo a única forma de acabar com o tráfico e a coacção sobre a personalidade das nossa crianças puberes...
- O fim de toda a actividade económica paralela...
- O respeito integral pelo meio ambiente, pela fauna que mantém o equilíbrio na natureza e pela própria natureza como sendo parte indissociável da felicidade humana...
- A institucionalização do amor...o aprofundamento da visão feminina da vida...a instauração duma democracia participativa...
***
Antes pastores da Lusitânia que vítimas da Tirania...podem levar-nos o ouro, a luxúria e a soberba, mas a Terra, o Mar e a Alma são nossos...A Alma, sim! Vamos Resgatá-la...por um Novo Humanismo!!!

autor: jrg

26
Set12

AOS DESVALIDOS... LIBELO ACUSATÓRIO!...

NEOABJECCIONISMO

fotografia João Girão-global imagens
«««//»»»
AOS DESVALIDOS...
LIBELO ACUSATÓRIO
**
senhor Passos Coelho
Excelência
primeiro ministro de Portugal
o senhor é um ditador
no embuste e na mentira sufragado
rodeado de hienas
mas tem como todo ditador os pés de barro
prestes também a derreter
sobre as cinzas dum povo imenso
a renascer 
demita-se já! sofre uma vaia
melhor sorte essa
que vitima do assalto ao seu poder
*
Acuso-o de traição
à Pátria que o senhor jurou defender
por ter vendido
a alma impenhorável da Nação
confiscou aos reformados
crime hediondo uma parte do seu pão
dividiu o trabalho
acintosamente em público e privado
acicatando estes contra os outros
aumentou impostos destruiu humana natureza
fez ruir empresas despediu
com politicas fratricidas o tecido do emprego
vendeu ao desbarato o que gerava mais valias
*
instituiu o descrédito da justiça
afrontando-a com o desrespeito à equidade
encurtou as prestações solidárias
condenando famílias crianças velhos à insolvência
paralisou o país sem luz nem rumo
violentando-o com suas palavras insolentes
maltratou as forças militares
e as demais que fazem jus à segurança
paralisou a economia
o país segue em marcha lenta agonizante
enrolado em sacrifícios
sem achar altar ou monte onde medrar
o senhor falhou redondamente
*
diz-se bom aluno mas copista
mentiu e mente defraudando a esperança
colocou milhares no desemprego
aumentou os custos da saúde rompeu a confiança
de enfermeiros e médicos no sistema
intensificou a espera e o descuido nos doentes
desmantelou a escola 
cavou um fosso entre aluno e professor
aprovou a degradação do ensino
corroeu expectativas projectadas na mudança
lavrou no mar incompetências
navegou à bolina com velas rotas a terra agrária
será possível que não tenha feito nada positivo?
*
Fez...
*
fomentou a economia paralela
criou comissões e cargos de alta assessoria
distribuiu benesses aos amigos
pagou a juro excelso à usura financeira
permitiu excepções às regras
de extermínio dos direitos mais elementares
criou riqueza para os mais ricos
que sustentam a manutenção do seu estatuto
manteve salários obscenos
e créditos consagrados em cartões de ilusão
renovou frotas de alta cilindrada
blindados covas e coveiros para enterro da Nação
vendeu a alma lusa a pataco
*
reclamo justiça
*
autor: jrg

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa útil - home - pesquisa avançada - últimos posts - tops / estatísticas direito de resposta - área de utilizador - logout informação - ajuda / faqs - sobre o blog.com.pt - contacto - o nosso blog - blog.com.pt no Twitter - termos e condições - publicidade parceiros e patrocinadores