Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

13
Out10

ESTA GENTE QUE SOMOS...PORTUGAL!... - I

NEOABJECCIONISMO
a alma da gente Portuguesa
nascida de entre sangue e flores
é um cruzamento da natureza
que realça o ódio e os amores

imagino um povo pária acossado
na história chamado Lusitânia
vindo sei lá donde esperançado
de escapar à barbara tirania

tribos pré celtas e mais iberos
que nestas terras se fixaram
depois galaico lusitanos perros
que os romanos arduamente conquistaram

após a queda do Romano Império
suevos vândalos visigodos
alamos búrios mouros vitupério
da original virtude a rodos

desta mistura o sangue se apurou
uma pitada de cartagineses
e fenícios de visita que chegou
eis quem somos nós os Portugueses

depois de mal contidos na nação
zarpamos pelos mares adentro
na ânsia da conquista pelo pão
se foi agravando nosso tormento

cruzámos espécies em nome de deus
cuidando que seriam apagados
por todo o mundo descobrimos céus
de amor e morte foram povoados

o que aprendemos foi a artimanha
de viver em caos e permanente
sábios de bazófia alguém nos ganha
só quando encurralam nossa gente

então fazemos logo de mendigos
são outros não nós que maldizemos
fossos que cavámos são antigos
não é nosso o buraco que ora fizemos

iletrados distraídos na jactância
deixamos sair grandes crânios
atraídos pelo fausto da ganância
exportamos suco importamos sucedâneos


autor: jrg
05
Out10

ARCO - ÌRIS

NEOABJECCIONISMO

 

{#emotions_dlg.bouquete}
recordo a fascinante alegria
quando o sol Primaveril
me soltava da chuva a magia
ao meu olhar infantil
{#emotions_dlg.blueflower}
sinto a mão firme ao clicar
a lembrança de menina
arco-ìris céu azul a se soltar
uma lágrima pequenina
{#emotions_dlg.sol}
a silhueta dos ramos desfloridos
mãos erguidas de esperança
côres maviosas de alegres sortidos
risos cristalinos de criança
{#emotions_dlg.rainbow}
terra escura olhos mágicos
amarelo verde rosa
fenómeno efeitos cósmicos
que o meu poema glosa
{#emotions_dlg.meeting}
nesta arte maior meu sortilégio
no sentir a alma da imagem
saída da essência do ser egrégio
que sente e fixa com coragem
{#emotions_dlg.orangeflower}
sensível ao toque ao movimento
dentro e fora do corpo à luz
a simbiose de todo um sentimento
de quem ama e de amor seduz
{#emotions_dlg.lua}

agora já não estranho o sentido
ou semelhança com provocação
do sorriso nos lábios contraído
antes lhe acho a alma o coração
autor :jrg

05
Out10

LIBERDADE...

NEOABJECCIONISMO

 

{#emotions_dlg.bouquete}
em Marvão entre muralhas
as grades da solidão
são nostalgias que talhas
no fundo do coração
*
tão bela a planicie doirada
serena no teu olhar
por entre grades gravada
para de noite sonhar
*
na memória de quem sonha liberdade
a imagem tem um sentido perverso
as grades simbolizam prisão na verdade
como o sorriso oculta estado inverso
*
na alma que fixa a objectiva
sonha da solidão a dor
dando forma à imagem positiva
sensível motivo interior
*
tirado o véu que sempre oculta
do imaginário a razão
a foto é liberdade onde avulta
alma pura de emoção
**
autor: jrg

 

03
Out10

EFABULAÇÕES SOLARES...

NEOABJECCIONISMO

 

{#emotions_dlg.sol}
o poeta sente na imagem a poesia
que a fotógrafa capta com emoção
o sol se liquefaz de alegria
por entre as cores do dia em explosão
{#emotions_dlg.blueflower}
parou por um momento a condução
tal o efeito que no olhar sentiu
mal podia conter o frenesim do coração
para fixar a imagem que eclodiu
{#emotions_dlg.redflower}
o poeta ao ver tão belo enquadramento
na simbiose da cor a luz subtil
regista palavras no poema em movimento
que a imagem da foto torna inútil
{#emotions_dlg.star}
os dois trocam olhares de cumplicidade
a fotógrafa tem na alma o Alentejo
o poeta nos olhos o mar de sensibilidade
o sol que já foi deus d'amplo cortejo
{#emotions_dlg.bouquete}
na memória do homem ainda o fascínio
que exalta a emoção pelo poente
só gera amores livres do domínio
por ser a arte deste belo a componente
autor do poema: jrg


30
Set10

TEMPESTADES...

NEOABJECCIONISMO

 

foto de Carla Sofia Ferreira

{#emotions_dlg.bouquete}

o Planeta gira à deriva

contrário à lei cósmica global

seis biliões de gente

que da morte não se priva

nem do medo visceral

que os arrasta na torrente

 

são deuses agnósticos

sementes de amor e ódio

todos iguais todos diferentes

sejam tratantes ou médicos

sábios fora do pódio

cientistas prepotentes

 

acontece tudo ou nada

tão de repente

visto da praia suada

dentro da gente

 

o mar ainda sereno

o sol memória

a meio da trajectória

o vento ameno

 

a maré enche os esporões

já não há abrigos

nem cardos nem chorões

sobre os médos antigos

 

lentamente a brisa

vira a sudoeste

engrossa a água frisa

torna-se agreste

 

traz o cheiro da maresia

nuvens carregadas

escuras encurtam o dia

vagas encapeladas

 

cresce o mar impetuoso

nas ondas irrequietas

sem tréguas do tempo ventoso

alegres assustam profetas

 

uma rajada de vento forte

o areal estremece

altera os médos a sul a norte

uivam os cães se anoitece

 

formam-se cristais

em volta de estranhos objectos

solta a sinfonia de sons abissais

raios trovões despertos

 

abana o corpo frágil

na ousadia se fosse mulher

o rugido no vento táctil

a fazer sentir o seu poder

 

ribombam ondas imponentes

que rebentam com fragor

voam gaivotas imprudentes

renasce a emoção do amor

 

não sou um intruso

ensopado  na chuva

de todos os continentes

estou alegre e confuso

sou o homem à beira da curva

colhendo as sementes

 

não sou um intruso

antes um elemento nefasto

que a tempestade acolheu

rosca sem parafuso

rês tresmalhada sem pasto

sem medo da noite de breu

 

autor: jrg

 

 

17
Set10

CÃES VADIOS...

NEOABJECCIONISMO

 

 

 

foto:flashcao.com com br
{#emotions_dlg.blueflower}

olhos doces meigos tão carentes
pelos crispados de sujidade
lambem as mãos sedentos famintos
ganem por entre os dentes
quando sentem renascer a amizade
abandonados antes distintos

cães das mais diversas linhagens
objectos de um vão capricho
ou de crianças vencidas mimadas
sofrem de destinos selvagens
na rua a sós ao frio ou em nicho
corpos de úlceras chagadas

comem sôfregos restos de comida
curados por gente sem diploma
cãe vadios na rua disputam amigos
já ladram à gente mais temida
a quem os acarinha e tirou de coma
protejem em seus novos abrigos

olhos doces meigos fixos ternura
seguem o rasto da precaridade
perseguem em grupo cadelas no cio
fiéis ao instinto que os apura
são amigos leais ostentam vaidade
de ser como nós vitimas a frio

olho para eles ao sol estiraçados
de barriga cheia ou inda vazia
e penso há milénios o homem igual
vitima de outros mais avançados
sem a linguagem que nos distancia
quem nos marcou esta meta final

autor: JRG

14
Set10

OLHAR OS GATOS...

NEOABJECCIONISMO

 

imagens:foro.mascotas.com

 

{#emotions_dlg.leiria}

movem-se ágeis graciosos
na arena do quintal
felinos silenciosos
com seus olhos de cristal

correm sobem paredes
rodopiam os corpos esguios
saltam amarinham redes
desenrolam da vida os fios

treinam eximias caçadas
artes de defesa e conquista
quebram silêncios miadas
escondem-se longe da vista

deixam marcas odoríferas
enviam sons lancinantes
no cio tornam-se feras
arranham e mordem amantes

são auto suficientes
lavam germes saram feridas
caçam pulgas com os dentes
na morte são sete vidas

dóceis ronronam festivos
às mãos que afagam e alisam
tornam-se porém agressivos
quando as festas os amansam

se o homem olhasse os gatos
se os tentasse interpretar
se amasse em vez de os dizimar
atingiria outro status

autor :jrg

13
Set10

OLHO O FOGO DOS TEUS OLHOS

NEOABJECCIONISMO

 

foto tirada da net
{#emotions_dlg.redflower}
***
olho o fogo dos teus olhos
o brilho dos lábios
onde a língua orvalhou
o arfar do peito
as mãos quietas
com que me acariciou
 ***

suspiro na quebra do silêncio
disfarço com as estrelas
desinquietas
as mãos ambas sobre o corpo
exaltam ânsias
angústias obsoletas

olho o teu corpo o sorriso luz
a alma a beleza
da lua sobre o mar adocicado
quietude que seduz
e me sublima a certeza
de ser em ti apaixonado
 ***

então levanto a voz afónico
movo os lábios ressequidos
emito gestos desconexos
perscruto o silêncio cósmico
sendo tu os meus sentidos
na liberdade dos sexos
***
quero dizer as palavras
traduzir amor em gestos de ternura
se ao menos as lágrimas secassem
se a sombra que te cobre
ou nuvem de ventura
com meu silêncio acabassem
***
quanto silêncio nos separa
meço a arritmia do coração
encurto a contagem alucinante
solta-se a mórbida timidez
avanço e toco a alma
que o teu corpo exibe arrepiante
***
liberta rebelde a ousadia
o teu corpo mulher tão menina
mal cabe no meu que te levanta
sabor a vento no cheiro da maresia
que a tempestade de amor
aviva a chama e nos encanta

*****


autor: JRG


13
Set10

A VIOLÊNCIA...

NEOABJECCIONISMO

tela de Nuti

 

{#emotions_dlg.blueflower}

portadores da mesma enfermidade
que oprime o coração a consciência
somos desde a remota antiguidade
infectados pelo virus da violência

é natural dizem para se sobreviver
bater na mulher filho ou vizinho
desde que frágeis ante o grã poder
e dele dependam para pão e vinho

há quem controle pela educação
recalcam a ira que sobe em espiral
abanam braços batem pés no chão
usam palavras armadas de tom fatal

escreveram-se tratados humanizantes
disciplinas a lógica a retórica
inventaram amor para todos amantes
mas não baniram doença histórica

nasceu e morreu matado o redentor
deuses subiram e desceram no passado
o homem vitima do seu próprio amor
segue a evolução sem rumo tresloucado

na procura insistente que dê resposta
nascem crianças viris indomáveis
sob os estigmas da desordem são aposta
das novas rotas de homens notáveis

na tragédia de viver sem esperança
eis que surge enfim a luz no horizonte
a entidade cósmica que gerou avança
e finda a violência que nos pôs a monte

autor:JRG

12
Set10

SER TU PRÓPRIA...

NEOABJECCIONISMO

 

 

imagem net
{#emotions_dlg.blueflower}
***

 

tu própria o disseste obliquamente
tu própria rompeste do eu toda a solidão
tu própria mulher inteira que se sente
tu própria a consciência duma multidão

tu te de ti própria mulher absoluta
tu te de ti própria livre de alheias vontades
tu te de ti própria projecção resoluta
tu te de ti própria sonhos luzes realidades

tu eu própria te se desmistificando
tu eu própria reflexa se te reconhecendo
tu eu própria poderosa se amando
tu eu própria colada no tempo crescendo

tu enfim própria senhora do mundo
tu enfim própria sábia louca consciência
tu enfim própria de visita ao mais profundo
tu enfim própria colocada em evidência

tu alma própria e não só o corpo belo
tu alma própria visionária do próximo devir
tu alma própria do racional desvelo
tu alma própria romântica em mim a refulgir

autor: JRG

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa útil - home - pesquisa avançada - últimos posts - tops / estatísticas direito de resposta - área de utilizador - logout informação - ajuda / faqs - sobre o blog.com.pt - contacto - o nosso blog - blog.com.pt no Twitter - termos e condições - publicidade parceiros e patrocinadores