Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

22
Out12

PROFECIAS !...

NEOABJECCIONISMO
imagem pública tirada da net
*
PROFECIAS
**
a estrela sol
a lua
a terra
as ninfas musas tágides
a natureza
a quietude mulher
a firmeza
*
navegar pela memória
bem adentro
no interior da alma
a esbarrar
no sem sentido que é
a vida assim
imersa em violência
*
o iluminismo
a despertar a consciência
o homem ínfimo
a infinitude de ser mulher
o pesadelo
a ganância efémera cobiça
o sonho de viver
*
de repente sob a luz do caos
quando já tudo ruía
a esperança d'alma a emergir
eis que um clarão
dissipa o mistério a sonolência
de onde brota
a ideia nova a nítida visão
*
a pureza da água
a lucidez
a acordar a alegria
a brisa mansa
a ardência da agonia
a aterragem
a irreverente rebeldia
*
emerge uma livre-pensadora
e outra já esquecida
e tantas mais que o homem silenciara
ao som diáfano
de intrépida e vibrante sinfonia
limpam de putrefactas
as ideias onde o homem as prendia
*
caem castelos da arrogância
dissolvem medos
arrasam ódios preconceitos
e sistemas viciados
instituem a ordem do amor
a partilha da fome
não há mais direito a sossegar
autor: jrg
18
Out12

PORTUGAL DE MARESIAS !

NEOABJECCIONISMO

imagem pública tirada da net

**

PORTUGAL DE MARESIAS
*
o país vai afundando
sem governo
nem arte de o marear
naufragando
numa maresia de veneno
à luz do medo e ao luar
à toa do inútil memorando
*
o país segue em cortejo
onda de ventos
a reboque da trama dos tiranos
alvos de motejo
com o país a passos lentos
em rotos panos
virado d'avesso como o vejo
*
a malta sai p'ra rua
dos tormentos
que já fora d'Árabes e romanos
agora é toda sua
alvor de puros sentimentos
mais humanos
e da realidade nua e crua
*
meu país de sol de mar e fogo
terra maninha fértil
d'olhos d'ao pé d'aver o mar
perdido em torpe jogo
num antro fumado de batota vil
impedido de jogar
que vai a pique logo logo logo
*
país de flores de brandos ventos
de aromas sensuais
de gente tão de boa cuja beleza
usa alma por sustento
livres pensadores mais além Universais
que amam sua natureza
não a vendem nem por testamento
*
povo rude mas assaz inteligente
ao ver do lobo a veste
na sua roupagem de vítima informal
agiliza a sua mente
exalta o que resta da alma luta resiste
à traição a Portugal
por criminosos de aparência galante
*
mas já não há nem nacionalismo
o que há são pessoas
ligadas pela terra e língua mãe
a libertarem-se d'egoismo
dispostas a construirem coisas boas
com esperança e sonho nada as detém
são a força do novo humanismo

*

 dantes não tínhamos nada

fomos por esse mundo fora à conquista
atrás da ambição dos loucos
hoje temos o mais que sobra da fornada
não desperdicemos d'altruísta
hoje que somos muitos antes tão poucos
a alma da nação nossa amada

*

autor: jrg

11
Out12

DIZER POESIA - JOÃO RAIMUNDO GONÇALVES...por ISABEL BRANCO

NEOABJECCIONISMO

*
E SE DE REPENTE

 

ME FECHASSE PARA BALANÇO?

 

***

de repente

 

enquanto à volta os meus passos
movimentam
tudo o que em mim é movimento
acho-me a pensar
que não tenho mais nada a dizer
depois do que disse
de tanto dito que li em meu redor
já só me falta não ser
na imensidão do mar eu abismo
sem sol nem luar
*
de repente
um desejo impetuoso de parar
ficar quieto
como uma maioria absoluta
a definhar
olhando sem ver o louco a louca
vicejando ao alvorecer
em cada esquina da vida a decantar
aforismos poemas
e causas tremendas horríveis
a doer-me de amar
*
de repente
tudo o que disse me soa a nada
vácuo vão inútil
de tanto pensar ensandeci de amor
pedra pesada
que não chega ao cimo da montanha
a meio descamba
e arrasta o que me resta de ter sido
coragem esperança
com a memória ainda em sangue
tão desventrada
*
de repente
não tenho deus nem pátria
nem família ou amigos
pés ou mãos que me aconcheguem
todos me calam
na profundidade de absurdos segredos
e se escudam
na promiscuidade da minha evidência
árida estéril imbecil
a propagar que já não tenho medos
para onde fugir
*
de repente
se um doce veneno uma picada indolor
um terramoto uma avalanche
de ideias consecutivas me acudissem
sem ter que perder
nem explicar-me a decisão de sair
de não mais dizer
que abomino o clamor deste silêncio
de onde teimo gritar
aos meus próprios passos que me sitiam
a alma surpreendida
*
de repente
uma vontade indomável de apagar
o que me identifica
lunático a acreditar na falsa esperança
que amar é dor que amor alcança
e a não querer ver a materialização fatal
que me e nos condena
à servil condição de sonhadores
de criar sonhos especular
sabendo de antemão que não vale mais a pena
viver nesta agonia a adiar
*
de repente
desligo o botão que me liga à máquina
e permito que o meu silêncio
seja também ele um grito fantástico
a ecoar nas almas em espertina
ninguém dará por nada tão de súbito
como a luz que se apaga
fica ainda a claridade do apagão a confundir-nos
sinto a leveza da queda
neste abismo que é o não ser em absoluto
depois volto à normalidade de viver
**
como se nada tivesse acontecido!!!

 


 

autor: jrg

***


REGURGITAR AMOR...


**
Imagino a gruta
para onde te levo
sob a falésia os arbustos
o aroma das urzes
onde te rimo com mar
e o mar de tanto amar
tão teu e meu a dor
*
lembro o sonho
de amantes sem segredos
enrolados nos corpos
possessos de beijos
para diversão das almas
que sabiam
da efemeridade dos medos
*
evoco da memória
que havia escondido no sonho
um pesadelo activado
porque amavas demais
um outro que em mim achavas
tão parecido ou crente a jeito
no sonho feito segredo
*
recordo o meu o teu
desinquietado desassossego
por onde desvairados
nos amamos sem pudor os corpos
por entre manchas de ternura
lágrimas compulsivas
de sal e mel te escorriam
*
regurgito onde te memorizo
o grito o gesto subil o cheiro
as palavras que disseste
de amor sentido meu degredo
e da vontade que é partir
ao teu e meu encontro
dizer-te que não tenhas medo
*
autor: JRG
10
Out12

PROCLAMAÇÃO PELO RESGATE DA ALMA PORTUGUESA!!!

NEOABJECCIONISMO
***
imagem pública tirada da net
*
PROCLAMAÇÃO
PELO RESGATE DA ALMA PORTUGUESA!!!
:::=:::

Considerando que este governo que hoje se governa em Portugal, penhorou a alma do povo Português...
Considerando que o mesmo governo, tem uma ânsia voraz de saquear os rendimentos do trabalho a todo o custo...
Considerando que o país, Portugal, se encontra mergulhado num marasmo, pela inércia e pela indignação geral, face ao desemprego, à falência de empresas e projectos, à perda da esperança...
Considerando que este governo não tem ideias nem competência nem valências, nem sensibilidade humana...
Considerando que este governo atira o país e o povo para o abismo...
Proclamamos:
- A demissão imediata deste governo e apuramento dos eventuais crimes de ilícitos contra o povo, desde logo a forma como se ressarciram ao privarem-se dos lautos vencimentos que usufruíam na área privada...
- A devolução imediata dos salários, chamados subsídios, a todos os trabalhadores e reformados vitimas deste saque hediondo...em dinheiro vivo ou sob a forma de certificados de dívida pública ao mesmo juro que se paga aos credores...
- A renegociação da chamada dívida pública de Portugal, com auditoria independente e popular, para apuramento da sua real dimensão e justeza, do ponto de vista das relações humanas e o seu ajustamento à realidade de hoje, com pagamento diluído por vários anos, de acordo com a nossa sustentabilidade...
- A declaração de neutralidade do estado Português...
- A análise às condições de permanência na zona euro e a eventual saída se se verificar que o país não suporta estas condições extremas de aderência...
- A denúncia imediata de todos os contratos com as PPP, sem qualquer indemnização por parte do estado...
- A cessação das chamadas rendas energéticas, e outras subvenções de carácter obscuro a fundações, clubes ou associações desportivas e ou de utilidade pública...abolição dos institutos públicos que não tenham reconhecida importância para o funcionamento da coisa pública...
- A suspensão das privatizações já agendadas...
- A criação dum imposto sobre as grandes fortunas, juros de capitais, mais valias bolsistas e outras, bem como sobre o património de luxo, móvel e imóvel...
- O estabelecimento, nas actuais condições, dum salário mínimo Nacional, no valor de E 800 (euros) e dum salário máximo de E 8.000 (euros) , sem quaisquer outras com participações, para toda a administração pública e empresas públicas ou privadas...
- A exortação aos empresários para que abracem a causa do desenvolvimento da comunidade Portuguesa, estimulando e apoiando os altos índices de criatividade, dos trabalhadores Portugueses-..
- A exortação aos trabalhadores para que se lancem com a alma resgatada, unidos pelos mesmo ideal de vida e valores humanos, para, com a pujança, a arte e a sabedoria dos seus conhecimentos e vontade, impedirem o ultraje de sermos absorvidos como parte da massa falida do estado e da Nação...
- A denúncia de todos os actos ou indícios de corrupção ou favorecimento pessoal ou de grupo, por parte de quem dele tenha conhecimento, seja por ver, por ouvir, ou sentir que a coisa pública está a ser vilipendiada, desviada dos seus objectivos humanitários, ou roubada em proveito pessoal ou de grupos de interesses...
- A redução da frota de viaturas ao serviço de agentes do estado e autarquias a um mínimo essencial ao funcionamento racionalizado dos actos de administração e representação...
- A redução a zero, das habitações de luxo para instalação de serviços e ou personalidades, tipo o Palácio de Belém ou o Campus da Justiça...
- O fim das subvenções a partidos políticos...
- O aproveitamento de professores e outros agentes de educação para uma campanha geral de instrução à população de Portugal,  nas áreas da língua, da matemática, da história e da educação cívica, sem o que o povo permanecerá fragilizado perante a demagogia dos oradores bem falantes e sem escrúpulos de cidadania...
- O fortalecimento do apoio aos actos culturais que divulguem, dimensionem, e consubstanciem a alma Portuguesa...
- O trabalho da terra deve ser intensificado contra todas as barreiras que nos foram sendo impostas...hortícolas, pomares, flores, culturas de sequeiro ou de regadio, rasguemos a terra com as enxadas se não houver máquinas, rasguemos a terra com as mãos se não houver enxadas...desenvolver a pecuária e as actividades leiteiras... e todas as actividades de conservação de alimentos...
- O trabalho do mar onde houver pesqueiros, a intensificação da aquacultura e das actividades derivadas da pesca, a congelação, a secagem  e a conserveira...
- A reorganização da justiça, de modo a que todos sejam tratados por igual, de facto,procedendo às alterações julgadas necessárias que hoje dificultam a sua aplicação com celeridade e justeza...
- Um perdão generalizado de dívidas que recaem sobre as pessoas, vitimas da usura e da propaganda que as levou a exacerbarem o consumo, fim das penhoras sobre salários e ou casas de habitação, para todos os cidadãos com salários ou pensões abaixo dos E 2.000 (euros) ou desempregados...
- A reorganização das forças policiais numa só entidade...
- A reorganização das forças armadas... a sua redução até limites sustentáveis e de modo a contribuírem para a formação defensiva de toda a população a partir dos 18 anos, em acções pontuais e centralizadas numa perspectiva de defesa da alma e da terra Portuguesa...
- A descriminalização de todo o tipo de drogas hoje consideradas ilícitas e a sua venda livre nas farmácias, acompanhada de uma pedagogia de alerta,desde a escola, para os efeitos e perigos de insanidade que tal uso pode provocar aos consumidores, como sendo a única forma de acabar com o tráfico e a coacção sobre a personalidade das nossa crianças puberes...
- O fim de toda a actividade económica paralela...
- O respeito integral pelo meio ambiente, pela fauna que mantém o equilíbrio na natureza e pela própria natureza como sendo parte indissociável da felicidade humana...
- A institucionalização do amor...o aprofundamento da visão feminina da vida...a instauração duma democracia participativa...
***
Antes pastores da Lusitânia que vítimas da Tirania...podem levar-nos o ouro, a luxúria e a soberba, mas a Terra, o Mar e a Alma são nossos...A Alma, sim! Vamos Resgatá-la...por um Novo Humanismo!!!

autor: jrg

08
Out12

LUÍSA TRINDADE - MULHER - CORAGEM

NEOABJECCIONISMO

LUÍSA TRINDADE - MULHER - CORAGEM


imagem pública tirada da net
**
LUÍSA TRINDADE
MULHER CORAGEM
***
ainda discursava 
o presidente
quando uma mulher
"Maria da Fonte"
ou Luísa Trindade de seu nome
de punho erguido à frente
gritava o desespero 
do seu viver sem pão 
nem liberdade
e ali tanta fartura 
em tão pouca gente
*

imagem pública tirada da net
*
vieram os gorilas
paus mandados
que a tentaram agarrar
usando força bruta 
contra a razão
em defesa das feras amedrontadas
sem medo 
Luísa a gritar
com a alma livre 
e  fogo no coração
foi a voz coragem dos indignados
*
imagem pública tirada da net
*
vimos o medo
a consternação idiota
do lado de lá
onde o poder se acoita
uma só mulher
quanto poder à solta
mãe MÁTRIA
chamem-lhe então louca
acabou a cerimónia
agora é a valer não se amedrontem
numa mulher não se toca

autor: jrg

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa útil - home - pesquisa avançada - últimos posts - tops / estatísticas direito de resposta - área de utilizador - logout informação - ajuda / faqs - sobre o blog.com.pt - contacto - o nosso blog - blog.com.pt no Twitter - termos e condições - publicidade parceiros e patrocinadores