Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

NEOABJECCIONISMO

O abjeccionismo baseia-se na resposta de cada um à pergunta: QUE PODE FAZER UM HOMEM DESESPERADO QUANDO O AR É UM VÓMITO E NÓS SERES ABJECTOS?- Pedro Oom .-As palavras são meras formalidades... O NEOABJECCIONISMO, n

31
Mar12

É MENTIRA !!!

NEOABJECCIONISMO
imagem pública tirada da net
*
É MENTIRA !!!  (I)
***
é mentira que haja
democracia em Portugal...
*
é mentira que o país
tivesse algum dia sido independente
se nasceu refém da santa sé
e dos interesses de quem à parte o quis
povo miscelânea de alma ardente
memória sanguinea de parecer mais do que é
povo ardiloso de misturas subtis
*
é mentira que o Presidente da República 
seja de todos os Portugueses...
*
é mentira que as eleições
sejam justas livres e transparentes
se as regras são reféns de vis interesses
propensas a jogos de poder manipulações
onde a abstenção é banida do que sentes
não conta é crime para impedir que penses
na lei que permite tais aldrabões
*
é mentira que Sócrates
seja o único culpado desta bancarrota...
*
é mentira que Camões
se salvou a nado e mais o manuscrito dos Lusíadas
ou estava em seco e o areal a vau venceu
ou naufragou o pensamento aos trambolhões
contam-se histórias do poeta fantasiadas
para servir a quem em vida lhe mordeu
e jocosamente diz: cego dum olho torto dos colhões
*
é mentira que haja igualdade de oportunidades... 
em Portugal o que há é a lei da selva...
*
é mentira que este governo
de cariz violento e na arrogância ultramontano
seja legal à luz do comum direito
ele é tão só veículo dum sistema que abomino
assente no ultraje ao ser humano
que humilha a mulher que lhe deu peito
convencido de parecer que é moderno
*
é mentira que Gaspar
seja o salvador  da Pátria financeira..
*
é mentira ou como pode Gil Vicente
ter sido ourives e vate na corte d'el rei
pai do teatro Ibero-Português e do renascimento
mestre da balança dramaturgo d'aquem neste Ocidente
se nem sabem quando e aonde nasceu de lei
tão pouco a data do falecimento
e se escreveu em Castelhano que pátria sente
*
é mentira que existe liberdade d'imprensa
em Portugal...
*
é mentira que possa resultar positivo
a estratégia deste governo face à ditadura financeira
amortalhando a alma viva Portuguesa
o que ele provoca é a evolução do poder mais criativo
que muito em breve o varrerá para a lixeira
lugar de culto pr'a devolver o lixo à mãe natureza
que o transformará em húmus produtivo
*
é mentira que o rei da selva continue a ser leão...
agora quem reina são os tubarões...
*
é mentira que Sebastião o desejado
seja um mistério envolto em denso nevoeiro
vitima da intriga do clero e atraído 
foi morto e lá ficou por espada trespassado
mas um mito já então era certeiro
para acorrentar o povo ao juízo desvalido
de quem governa reino ou estado
*
é mentira que ainda esteja em vigor
uma constituição da República Portuguesa
*
é mentira que nada se possa fazer
à manifestação convulsiva de tantos movimentos
é preciso que suceda o acto de pensar
há uma força feminina que emerge a renascer
mantida na penumbra pelos santos mandamentos
alma de mulher inteira cansada de se humilhar
mulheres coragem... quantos são?venham que não temos medo de vencer!!!
»»»
jrg
(pária...apátrida...cidadão da MÁTRIA em construção...)
29
Mar12

NA LUCIDEZ DA LOUCURA...

NEOABJECCIONISMO
foto pública tirada da net
**
NA LUCIDEZ  DA LOUCURA
**
enquanto eu me sentir
lucidamente louco
e questionar à treva o movimento
contrário ao nascer do sol no devir
enquanto eu ao pensar descobrir um pouco
da irracionalidade que divide o pensamento
devo em nome da verdade existir
**
porque vêm de longe e já tão perto
os rumores que libertam a vida em cativeiro
florescem mil grupos em movimento
não como antes os soldados dentro dum aperto
mas um povo esclarecido em seu direito
a impor que se transforme falácia em pensamento
e se trace com amor o rumo certo
**
há uma luz que fere o meu olhar
não ao fundo dum túnel mas em céu aberto
vem vindo do feminino mensageira
traz novas da memória vento mágico a soprar
enquanto assim me sinto tão liberto
de a rever na escuridão que pressinto passageira
louco na minha lucidez de a rimar
autor: jrg
27
Mar12

QUEM LÁ VEM...

NEOABJECCIONISMO
foto pública tirada da net
*
QUEM LÁ VEM..
*
quem lá vem
delicada bela feminina
é deusa ou poetisa
traz nas palavras segredos de mãe
nos versos a cor que insemina
a paixão do amor que a vida suaviza
*
quem lá vem
agitando os olhos na lonjura
passos leves meu encanto
envolta nos aromas que a rosa tem
fulgor de luz que ela apura
nas cores de fantasia do seu manto
*
quem lá vem
e me sorri com lábios de esperança
traz no poema a formosura
que as palavras exalam mais além
alegres no tempo que avança
a cada passo em sua alma com ternura
*
quem lá vem
tem um sabor a mar e natureza
o toque subtil que arrepia
este meu sentir na alma ao ser refém
de tão exuberante beleza
que me traz em salva d'ouro a poesia
*
quem lá vem
é mulher livre corajosa
com um sexto sentido agudizante
crente na força que provém
da sua infinitude humana e virtuosa
criadora de vida humanizante
*
quem lá vem
rebentos de amizade úbere a florir
é a primavera do amor
sementes de liberdade alma d'alguém
que não teme abrir os lábios e sorrir
como pétala orvalhada de flor
*
quem lá vem
rebelde destemida em construção
é da alma feminina o mito
que remove montanhas e traz também
um mundo novo à sua dimensão
que eu daqui saúdo porque sendo dela acredito
*
jrg
24
Mar12

DEUSA...MÃE...MULHER...À TUA ESPERA...

NEOABJECCIONISMO
foto pública tirada da net
*
DEUSA...MÃE...MULHER...À TUA ESPERA
não é um culto ou religião é a esperança Terra
*
um gato mia na madrugada
um cão solta latidos lúgubres
morcegos esvoaçam agitados sob os telhados
não há pontos luminosos no céu
a noite é cinza de nuvens condensadas
os meus pés tocam o chão de negro
toco em vultos de arbustos entre árvores fantásticas
rumores de pássaros inquietados
África geme no silêncio da sua inquietude
"civilizada" a retalhos desnutrida
de comida de água e de valores humanizantes
sopra o vento de sudoeste
sôfrego de varrer a absurda calmaria
a Ásia emerge das profundezas
contraditada contraditória imersa em obscuros desígnios
vai chover... raios de luz... trovões...
penso na América...na Europa...em plena sintonia
sob o declínio inevitável da abastança
caminho sem rumo na rota cósmica da esperança
tropeço em preconceitos decadentes
falsos pudores abandonados à ética insolvente
o piar do mocho arrepia-me
ou será uma coruja agoirenta ou o chiar do vento
Oceânia porque me interpelas de tão longe?
um rato morto dissecado por um vai e vem de formigas
a chuva forte faz um ruído estranho
na folhagem no asfalto no oleado que me cobre
toca-me fria e húmida de silêncio
quebrado no chapinhar pausado dos meus passos
quantos terão sobrevivido?
crucifixos amuletos restos de religiões obsoletas
resquícios de certezas na enxurrada
há quanto tempo caminho na procura da esperança?
dizem-me os sonhos que se refugiou algures
que importa não haverá mais dias meses nem anos
tão só dia e noite sol e lua...estrelas...
e não apenas eu ou nós caminhando a par do tempo
que se regenera em pousio a fermentar
*
quando de súbito um facho de luz intensa na escuridão
me dá a ver da rota recta a dimensão
vultos femininos almas e corpos em passos gigantescos
quero gritar mas não ouço mais que o vento
Ana...Rita...Marta...Maria...Joana...Sofia...Edite...Conceição...
sufoco a memória dói-me o pensamento
Paula...Marisa...Raquel...Rosa..Isabel...Luísa...Leonor...
nem me adianta correr por mais que o faça ou grite não alcanço
mas saber que não vou só dá novo alento
hei-de chegar à meta nova de que almejo a projecção
*
autor: jrg
(pária...apátrida...cidadão da MÁTRIA em construção...)
24
Mar12

POLÍCIA DE CHOQUE !

NEOABJECCIONISMO
POLÍCIA DE CHOQUE
***
são os homens de ferro do sistema
máquinas cientificamente programadas
nem sorrisos nem esgares
lábios cerrados olhos fixos nos vultos que se agitam
foram treinados para massacrar
nada os impede quando postos em movimento
não ouvem vozes nem lêem escritos
como os aviões não podem aterrar quando levantam
obedecem a ordens em código secreto
como cães de elite sequiosos de mostrar talento
são de choque intervenção ou especial
nenhum governo os dispensa ciente da sua fraqueza
e porque não vêm senão vultos
massacram velhos mulheres crianças mãe e pai
são inimputáveis que ninguém se engane
os inquéritos são normas apagadas ao cair do pano
mas não são invencíveis e como tal
tornam-se impotentes perante armas iguais
ou na presença de uma multidão
imagino Lisboa sitiada arquejando as gentes
vandalizadas na sua dignidade
sem emprego marginalizadas pelo estado
imagino se forem mais que um milhão
decididos a mudar o tempo a alterar a rota de vergonha
perante uma tal força de vontades de emoções
não há polícia que obedeça
nem quem ouse o código soletrar
autor: jrg
24
Mar12

UM GOVERNO DE VERGONHA !

NEOABJECCIONISMO
imagem pública tirada da net
*
UM GOVERNO DE VERGONHA!...
*
o senhor Vítor Gaspar
imagino que quando era criança
se entretinha a dissecar insectos ainda vivos
meticulosamente vivos até matar
medindo a resistência mínima da esperança  
perante os actos mais abjectos e altivos
com modos delicados de encantar
*
o senhor Miguel Relvas
imagino que quando era rapaz
era o dono da bola que então rolava
ditava a lei"se não obedeces levas"
a exercitar o tanto faz
ser certo ou errado o que mandava
desde que se curvassem ao rei das selvas
*
o senhor Passos Coelho
imagino que quando era menino
seria o que nos outros se encobria
o bom aluno que não dobrava nem joelho
usava a mentira d'ardiloso paladino
mandando a outros fazer o que não fazia
a cantar de galo sendo fedelho
*
o senhor Paulo Macedo
imagino que quando era gaiato
já sonhava da saúde vir a ser ministro
seleccionava aranhas para enredo
perseguia os mais fracos subia ao estrelato
com um sorriso falso sem registro
se foi fazendo homem à volta dum segredo
*
assim vai este país
a que chamam Portugal
entregue a estas eminências pardacentas
que dividem um povo em lotes de raiz
a uns servem condimentos a outros refeição frugal
com falas mansas e medidas violentas
não mandam nada se os enfrentam caem dos perfis
*
jrg
21
Mar12

PARABÉNS POESIA...

NEOABJECCIONISMO
imagem pública tirada da net
*

PARABÉNS POESIA...

*
a poesia hoje vestiu de negro está de luto
detida com pulseira electrónica
presa soubera eu soltá-la ou ter coragem
de enfrentar o medo e resoluto
purificar o riso na musa tão irónica
soltando o grito mais selvagem
rebelde ao assentimento do oculto
*
mas amanhã já na primavera
vestirá assim tão de mil e tantas cores
e quebrará todas as grilhetas
poetas poetisas ah se eu d'amor pudera
cantarão esperanças e amores
inundarão de paz ao som das pandeiretas
rendidos ao que nela impera
*
não haverá pétalas nem de cravos
nem de rosas sequiosas
desta feita a revolta é toda musical
sopranos cantarão desagravos
as trombetas tocarão hinos furiosas
arrastarão a turba nacional
num delírio de emoções e nervos
*
Homero no Olimpo e já Pessoa
Eluard Cesário e outros mil tantos
escrevem o mandamento
que aos mortais confusos se afeiçoa
a fantasia tece diáfanos mantos
que agitam e fazem medrar o pensamento
quando o medo na alma inda ressoa
*
rufam tamboretes e tambores
por esta primavera de luz tão sequiosa
coragem que a esperança se desperta
renasce em versos livres dos reais temores
ou na alma duma mulher esplendorosa
que activando a poesia nela se refaz poeta
quebrando o feitiço dos horrores
*
jrg
21
Mar12

ASSOMBRAÇÃO...

NEOABJECCIONISMO

foto pública tirada da net

*

ASSOMBRAÇÃO..
*
todas as noites
quando a lua desce de mansinho sobre o mar
uma centelha de esperança
renasce na mudança agreste da maré
entre as almas errantes
descalças lambuzadas de efeitos luz
embrulhadas de sombras
*
todas as noites
as vejo dançar bruxuleantes sonâmbulas
numa roda de silêncios
de braços abertos partículas cósmicas
por vezes suspensas
adejando sobre estranhas figuras espectrais
esteticamente geométricas
*
todas as noites
ao vê-las penso em fugir
montado nas densas brisas marinhas
a desfazer-me de humanidade
ser na alma das almas por mais absurdo
que seja um intruso lunático
a retornar ao caminho da vinda
*
todas as noites
exceptuando a fase de nova
em que os vultos assumem a sua transparência
e o céu se confunde no mar
apenas a ardência das almas inquietas
com a exposição prematura
as estrelas tão altas formando alas
*
todas as noites
sonho que me transporto e levito
salto abismos morro
de morte livre em pleno da minha consciência
e me transformo em apenas alma
vou e venho como a maré em cada tempo
às vezes grito outras definho
*
todas as noites
invento um amor à luz das almas
há um corpo e brilho no olhar
seios sexo sorrisos gestos incandescentes
no meu frenesim de tocar
e de não sentir a solidez abjecta da matéria
nem o cheiro a vómito onde me estatelo
*
todas as noites
de tão cansado me adormeço
no desassossego de viver
inebriante o aroma deixado no ar pelas flores
penso nos convencidos intransigentes
na facilidade com que nos deixamos atemorizar
e sinto raiva de viver

*

autor: jrg


20
Mar12

SEGREIS DE LISBOA...NO TEATRO IBÉRICO!...

NEOABJECCIONISMO

 

 

*

SEGREIS DE LISBOA
*
Joana o corpo todo balança
no rebate da corrente
doce a flauta ou traversa ao sopro toca
tons de azul rosa laranja
do amor que ela em si tanto sente
quando lhe passa na boca
a trova tocada em cor de esperança
*
Miguel abraça a gamba com ternura
viola violino violoncelo
estremece em tons de roxo ou lilases
o arco que na corda apura
o som melódico atulhado em fino zelo
sabedoria d'almas tão audazes
que criam sobre a criação ou criatura
*
Manuel é o maestro sem batuta
olhos e gestos sibilinos
dando a cor amena ou a selvagem
exalta de virtude a ninfa astuta
emenda a história dos valores fidedignos
pinta de branco as noites da coragem
e põe ponto final na vã disputa
*
Ana canta virtuosa a Leonor
de verde grave a soprano bela e expedita
todo o corpo nela se agiganta
quando a alma toca a tragédia do amor
em cada nota a cor única erudita
ou o drama que a nossa alma espanta
se pinta de vermelho a tanta dor

*

os quatro assim dispostos em cenário
um toque medieval de som e luz
fixam para a memória do que há-de vir
o verso do jogral em reportório
que toda a alma humana dele se seduz
ao ver em movimento o som luzir
nas cores fantásticas do seu aniversário

*

autor: jrg

17
Mar12

ARRITMIAS...

NEOABJECCIONISMO
imagem pública tirada da net
*
ARRITMIAS
*
durmo em sono profundo
não sei se já desperto ou ainda sonho
bem podia morrer dormindo
partir voando sobre as capitais do mundo
sem saber se outro apanho
mais humano que este agora findo
onde a dormir me afundo

*
de súbito sinto a tua mão
sobre o meu corpo amanhecida
toques leves à flor da pele meu deleite
ouço o bater do coração
o sexo a latejar a cama do teu corpo aquecida
o desejo a crescer ao ser aceite
no silêncio da noite um turbilhão
*
imagem pública tirada da net
*
volto-me e de frente o beijo
os teus lábios numa procura instante
os sabores os seios no meu peito
torturas-me de prazer tão docemente
*
meu amor de eterna menina
acelerado teu coração nos interrompe
e num abraço intenso de ternura
sinto o quanto amo a tua alma feminina
levo-te para que o tempo nos poupe
e possas vigorar em mim tão livre e pura
no alivio que te traz a medicina
*
autor: jrg

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa útil - home - pesquisa avançada - últimos posts - tops / estatísticas direito de resposta - área de utilizador - logout informação - ajuda / faqs - sobre o blog.com.pt - contacto - o nosso blog - blog.com.pt no Twitter - termos e condições - publicidade parceiros e patrocinadores