14 comentários:
De maria de fátima a 26 de Junho de 2009 às 10:51
Olá João a droga é um flagelo que ataca todas as famílias no mundo inteiro.Também a minha não fugiu à regra, infelizmente.Apesar de ser um assunto doloroso gostei das duas histórias.Beijinhos e bom fim de semana.
De NEOABJECCIONISMO a 26 de Junho de 2009 às 22:49
Olá Fátima, não me lembro que me tenhas falado de casos de droga na tua família. Querer lembrar-me,? partilhar?
De resto, esta é uma história de Utopia. A degradação é de tal envergadura que uma pessoa dita de bem foge simplesmente e no entanto bastaria um banho, um pouco de ternura, estender a mão sem pedir nada em troca, coisas simples que a nossa complexidade não nos deixa fazer.
Obrigado pelas tuas palavras. És um doce de amiga.
Beijos
De Bea- Compulsão Diária a 26 de Junho de 2009 às 21:53
Excelente participação. sofisticada, empenhada.
Gratíssima por participar com tanto cuidado e conteúdo
Parabéns
De NEOABJECCIONISMO a 26 de Junho de 2009 às 23:07
Olá Bea .
Soube-me a muito, ler as palavras de alguém que tenho como potencialmente informada , sobre uma história que escrevi e que podia ser o mote para a regeneração de alguns milhares de trágico-comediantes , se não fosse tida como uma Utopia.
Agradeço do coração que a tenha lido e que a tenha sentido como eu entendo que sentiu.
Um beijo de amizade
De Luma a 27 de Junho de 2009 às 00:31
Dava para escrever um romance, se assim quisesse! Pois tem sincronia de idéias e vontade de escrever! Quanto a questão da droga, sabe-se que o amor, salva! E todos merecem chances de sobrevida! Beijus
De NEOABJECCIONISMO a 27 de Junho de 2009 às 01:36
Luma. É um momento de felicidade receber tua visita, aqui onde abuso do silêncio nas palavras e me envolvo na procura insistente da razão de ser sendo, que se experimenta. Pode até ser que seja. Para já é apenas uma ideia fixada, à volta da qual pode surgir uma estrutura mais concreta. Veremos.
Tuas palavras são um incentivo à minha criatividade.
Obrigado.
Beijos
De Vanessa a 27 de Junho de 2009 às 02:08
Olá, não conhecia o blog, parabéns. Seu post está muito bem feito. Tb estou na coletiva e só agora pude passar para comentar os postados. Abraço!
De NEOABJECCIONISMO a 27 de Junho de 2009 às 11:26
Vanessa.
É um momento de alegria, reunir almas puras como a tua neste espacinho de reflexão e depois de ter visitado o teu espaço maravilhoso, onde a criatividade e o diálogo sobre os graves problemas que a humanidade vive, terá de resolver se não quiser extinguir-se.
Beijnhos
De Alba Vieira a 28 de Junho de 2009 às 19:07
Realmente... A droga entra no lugar em que falta o amor. Ele deu o primeiro passo, agora a questão é estimular a dependente a desenvolver o amor por si própria para que possa livrar-se das drogas definitivamente.
De NEOABJECCIONISMO a 29 de Junho de 2009 às 00:41
Alba Vieira.
É uma honra quando me visitam de novo e me trazem presentes no recheio das palavras. Fico-te grato.
O amor é defacto o elo de ligação que pode fazer com que qualquer coisa que esteja mal, se modifique para melhor.
No caso das drogas, o principio é o amor de si e por si próprio. É o amor vindo de dentro que se perdeu na degradação continuada do consumo. Todavia, é preciso estancar a continua proliferação do engodo com que pescam as crianças mal começam a pensar ser grandes.
Um beijinho de amizade.
De Morgen a 29 de Junho de 2009 às 18:26
A drogra é uma realidade e cada vez mais uma constante na nossa sociedade.
De Morgen a 29 de Junho de 2009 às 18:27
*droga
De NEOABJECCIONISMO a 1 de Julho de 2009 às 00:43
Querida amiga.
Estou desejoso de saber como correu o teu ano escolar. Perdoa a falta de diálogo, mas tenho tido uns probeminhas para resolver que me tomam o tempo.
Obrigado por teres vindo porque és minha amiga, sou teu amigo e fazes parte da mulher do futuro .
A droga é uma realidade que nos limita a vida.
Beijinhos
De Marta a 30 de Junho de 2009 às 21:53
Deixo como sugestão o endereço www.bubok.pt. Aqui podes encontrar a primeira editora online para auto-publicação neste nosso país à beira mar plantado. Esta é uma forma de democratizar a edição de livros em que, à semelhança do YouTube em relação aos vídeos e do MySpace em relação à música, és tu quem tem o controlo sobre tudo.
Na Bubok são as tuas ideias que ganham liberdade.
O processo de publicação é muito simples e rápido, deixando-te com o controlo total do teu livro. São 5 passos a seguir, do upload do ficheiro com a tua obra, à escolha do preço da obra. Através do sistema Print On Demand, não há tiragens mínimas obrigatórias. A impressão do livro é feita por encomenda, evitando os excedentes poeirentos e poluentes.
podes divulgá-lo nas paredes! Romances, fotografias, receitas de culinária, monografias, diários de viagem, etc, tudo pode ser publicado na Bubok.
Depois de publicares, és tu quem promove o teu livro: sms´s, comments, fives, vídeos, fotos. Vale tudo, só dependes de ti!
Qualquer dúvida que surgir, não hesite em contactar-me: marta.furtado@bubok.com
Vai a www.bubok.pt e publica sem limites!

Comentar post