3 comentários:
De sunshine a 6 de Maio de 2008 às 12:57
Falar cruamente, não incomoda apenas, faz-nos sentir a realidade e da realidade muita gente tem medo. Até porque a maioria das pessoas não vive, limita-se a existir - a fresa é bela, mas não é minha. Contudo é bem verdadeira!
De NEOABJECCIONISMO a 7 de Maio de 2008 às 10:37
As pessoas povoam a mente de fantasias, incutidas ou geradas em si, pelo exterior visto e ouvido.
Anseiam por experimentar comportamentos considerados desviantes por culturas de ética duvidosa.
Um exemplo:
Sara, uma menina de 6 anos, a frequentar um colégio de grandes pergaminhos éticoe e pedagógicos. O pai médico, culto. A mãe, professora, culta.
Sara no parque infantil para outra menina que a importunava:
-Vai para o caralho!.
Uma senhora púdica que ouviu a intempéire.
-Sara, então isso diz-se?
E Sara, ingénua, pura, inocente:
-Qual é o problema? O meu pai também manda a minha mãe para o caralho quando discutem!...
No fundo, o quadro que ousei pintar, procura pôr em evidência esta relação ética e genética do ser em desespero por se achar, envolto numa miscelânea de conceitos, em confronto consigo e a encontrar-se de novo na posição de onde havia partido.
Um beijo

Comentar post